Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Libertação’

*

Como a grande maioria das mulheres brasileiras, divido o meu tempo entre trabalho (no meu caso, ministério), igreja, família, casa, compromissos pessoais, supermercado, farmácia, médico, banco, etc, etc, etc… Claro que nunca dá tempo de fazer tudo, então vamos focando no que julgamos ser prioritário. No meu caso, o serviço doméstico sempre fica por último, e às vezes o trabalho vai se acumulando. De repente, chega o dia em que não dá mais para adiar.

Hoje precisei limpar dar uma “geral” no fogão. Fogão brilhando, olhei para o lado e notei o quanto o armário estava sujo!! Impossível deixá-lo neste estado ao lado do fogão limpinho. E assim foi, até que azulejos, pia, geladeira e chão fossem todos igualmente limpos.

Horas se passaram e, enquanto isso, o Espírito Santo ministrava ao meu coração: não percebemos o quanto estamos sujos até que começamos o processo de limpeza.

Nossa vida espiritual é assim: se imediatamente após cometermos um pecado o reconhecemos, nos arrependemos e o confessamos, somos lavados e justificados pelo sangue do Cordeiro e seguimos nossa caminhada em santidade.

Mas, se ao invés disso, estamos ocupados demais com outras prioridades e deixamos a limpeza pra depois, a sujeira vai se acumulando, acumulando e acumulando até o ponto em que nem a identificamos mais, ou a bagunça é tamanha que achamos que não tem mais jeito.

Daí o processo de limpeza é mais doloroso, leva mais tempo, dá mais trabalho, cansa, dói.

Que sejamos sábios, humildes e prontos a nos livrar de tudo o que nos afasta de Deus, não em faxinas esporádicas, mas num processo contínuo de restauração, libertação e cura. Simples assim!

_

“O sabão lava o meu rostinho,

lava os meus pezinhos, lava as minhas mãos.

Mas Jesus, pra me deixar limpinho,

quer lavar meu coração.

Quando o mal faz uma manchinha

eu sei muito bem quem pode me limpar

É Jesus! Eu não escondo nada! 

Tudo Ele pode apagar.”

 

__________________

*

 
Márcia Cristina Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
Marília/SP
*
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria.
 

***

 
 

Leia também:

*

Anúncios

Read Full Post »

 

Tive uma experiência inusitada hoje.

O dia estava bem quente e uma nuvem acompanhada de ventos anunciava chuva. Lembrei-me imediatamente de verificar o quintal. Temos uma cachorrinha que faz suas “necessidades” no corredor dos fundos e, se chovesse, o cheiro seria insuportável. Daí muni-me de pá e vassoura e lá fui eu visitar meu quintal.

De repente, uma visão terrível me deixou paralisada. Percebi que as paredes do muro do meu quintal estavam negras!!! Meu Deus, como é possível!?!?!? Como permiti que a sujeira se acumulasse a esse ponto!?!?!? Foram meses de descuido e, de repente, meus olhos se abriram para o limo que cobrira toda a parede. Fiquei envergonhada.

Juntei todos os produtos de limpeza que havia em meu armário e pus-me a lavar as paredes. A cada esfregada, pedia a Deus perdão por ter negligenciado minha função de dona de casa. Perdão por permitir que minha família vivesse numa casa com muros tão imundos. Perdão por deixar de cumprir tarefas tão básicas.

Três horas mais tarde, depois de muitos esfregões, tudo finalmente ficou limpo. É claro que, com a sujeira, saiu também a tinta barata que o locador passou para impressionar futuros inquilinos, mas não importa. Missão cumprida! Parede e alma limpas. O gesto de identificar um problema e vencê-lo foi, para mim, uma grande experiência de libertação.

Sei que muitos cristãos preferem uma hipnose ministrada por apóstolos poderosos que, mediante óleo ungido e rituais de cura interior, efetuam o processo de libertação. Muitos necessitam de efeitos especiais e sensações espetaculares para se sentirem de fato libertos.

Entretanto, quando Jesus sugeriu que seus discípulos olhassem os lírios, os pássaros, os campos, estava nos ensinando a valorizar também as experiências do nosso cotidiano.

Enquanto alguns precisam ir até o quintal e pedir perdão pela sujeira dos muros, outros precisam abrir o guarda-roupa abarrotado e pedir perdão por ter excedido no cartão de crédito. Outros precisam olhar no espelho os quilos a mais, e pedir perdão por ter exagerado nos doces e refrigerantes. Outros precisam ver o armário da cozinha vazio e pedir perdão pelos copos que quebrou por falta de cuidado. Outros ainda precisam abrir o histórico do seu computador, e pedir perdão pela páginas que visitou nas últimas semanas.

É certo que todos nós precisamos de libertação em alguma área.

Aprendi nessa tarde que, em vez de fazer regressão com um grande guru, muitas vezes basta dar uma olhada à nossa volta ou até mesmo dentro de nós. Identificar o que há de errado. Pedir perdão. Reconhecer o que precisa ser mudado. E fazer o que precisa ser feito. Simples assim 🙂 !

Talvez nunca ninguém perceba que lavei as paredes do meu quintal. Afinal, a sujeira sempre chama a atenção, já a limpeza, nem sempre. Mas essa experiência mudou pra sempre a minha vida. Da mesma forma que os “grandes apóstolos modernos, especialistas em libertação”, ao fim da minha batalha pessoal eu me encontrava fisicamente exausta e suada, exaurida como alguém que voltou da guerra. E assim, na simplicidade do meu quintal, experimentei a minha libertação de hoje.

As pequenas coisas podem se transformar em grandes experiências se vistas como uma oportunidade de crescimento pessoal e glorificação do Reino de Deus.

Hoje, eu fui liberta no meu quintal.

*

Ser Igreja

*

Márcia Cristina Rezende

Bacharel em Teologia e Educação Religiosa

Doctor of Ministry – Especialização em Bíblia

Marília/SP

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

*

Leia também:

*

__________________________________

Read Full Post »