Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Vida com Deus’ Category

Evangélico ou cristão? Com ou sem Igreja? Tradicional, pentecostal ou avivado? Hoje a discussão do modus operandi só aumenta enquanto a missão de implantarmos o Reino de Deus se perde no meio da polêmica. Compartilho com vocês, um artigo muito bom a respeito.

 

Por: Claudio Rogerio da Silveira Modesto

Em alguns segmentos o alvo determinado está mais longe de ser alcançado em virtude das questões emocionais que envolvem os membros de uma equipe de liderança cristã.

Eles são incapazes de dissociar a pessoa das atitudes ou comportamentos por ela desenvolvidos. Por isso, muitas organizações e ministérios cristãos entram num ciclo insano e voltam à estaca zero vez por outra. A cultura do cabo de guerra, da disputa, em benefício próprio e da projeção pessoal tem afastado as organizações do seu alvo, dentro de um planejamento estratégico. 

Não foi assim que fomos ensinados por Jesus. Observe o texto de Marcos 9: 38 a 41 e Lucas 9:49 e 50 –Eles nos mostram a limitação de João em concentrar a tarefa entre os membros de sua equipe e ao menor sinal de que outra equipe estivesse trabalhando com um mesmo objetivo ele se posiciona de maneira contrária, sem procurar conhecer os fatos, a motivação e o benefício que a outra equipe poderia adicionar ao contexto. Quando João relata o fato a Jesus ele reage dizendo:

– “Não lhe proibais… Pois quem não é contra nós é por nós” – já no texto de Lucas Ele enfatiza: “Quem não é contra vós é por vós”. A rivalidade entre os que realizam o trabalho de Deus já existia na época de Jesus.  Jesus não estava preocupado com o Modus Operandi a ser aplicado, mas, em que a cultura do seu Reino fosse estabelecida trazendo libertação e levando o cativo, o aflito novamente para sua presença.

Na verdade, não poucas vezes estamos observando uma guerra velada entre os líderes cristãos e pregadores da Igreja deste século. No entanto, sabemos que os sentimentos de rivalidade e concorrência não são compatíveis com os ensinamentos de Jesus. Trazendo clareza aquela situação, Ele faz ecoar a sua voz nos dias de hoje: – Quem não é contra nós é por nós ou quem não é contra vós é por vós!

Uns acreditam que a forma de ser Igreja hoje é falida e arcaica, outros estão levando pessoas à Cristo através da forma de Igreja que aí existe; alguns acreditam que o melhor é se reunir em casas, em pequenos grupos, porém outros preferem realizar grandes eventos, não há problema algum desde que o alvo seja alcançado, ou seja, pessoas sejam transportadas do império das trevas para o Reino de Deus.

Alguns preferem se reunir em hotéis, cafés, outros desenvolvem um trabalho de cura interior e libertação, uns expulsam demônios outros acreditam que as pessoas são libertas sem nenhum tipo de manifestação. Alguns preparam homens e mulheres que se tornarão líderes e pastores que alcançaram muito mais do que se ele estivesse pastoreando uma Igreja somente.

Uns acreditam que é importante serem chamados de apóstolos, profetas, pastores, mestres e doutores; já outros grupos são e vivem como apóstolos e profetas, mas, abominam o título.

À exemplo da atitude de João, devemos nós criar oposição para que alguém realize o trabalho de Deus na terra? Não!

Ouça o que Jesus respondeu a João – Não os proibais! Pois, quem não é contra nós é por nós! Sendo assim, eu encorajo você a realizar o seu chamado e potencializar o chamado do seu companheiro sem agredi-lo com críticas ou até mesmo sem copiá-lo. Deus é suficientemente criativo para fazer você alcançar pessoas através de um chamado pessoal. Vivendo da forma que Deus te chamou para viver e não se incomodando com a forma que os outros encontraram para servi-lo.

Infelizmente se gasta muito tempo procurando modelos a seguir e, muito pouco tempo anunciando e vivendo o evangelho, dando-se ênfase ao MODUS OPERANDI e deixando de lado o MODUS VIVENDI.

Quer um conselho: Não desperdice a tua vida, não jogue fora o teu talento, não permita que o opaco da rivalidade impeça você de resplandecer como luz do mundo que você é. Gaste a sua vida cumprindo o seu chamado.

“Cada um permaneça na vocação em que foi chamado… Irmãos, cada um permaneça diante de Deus naquilo em que foi chamado.” (1 Coríntios 7.20,24)

Fonte: Instituto Jetro

Read Full Post »

*

QUANTA LIBERDADE VOCÊ QUER? 
de Dennis Downing

*

Sexta feira você toma um ônibus para o interior. Você pretende
visitar parentes. É noite. Final de semana. O tráfego é intenso. Como
se não bastasse, começa a chover.

O motorista do ônibus está correndo. Ele anda a 65 Km/h, depois
acelera para 75. Daqui a pouco ele está correndo a 80. A chuva é
intensa. Você está sentado na frente do ônibus e quase não vê a
estrada. Passa cada caminhão quase batendo na lateral do ônibus!

Você começa a ficar com medo. Você fala com o motorista para ele ir
um pouco mais devagar. Ele responde “Não se preocupe! Estou dentro do
limite de velocidade. Nesse trecho aqui posso andar até 90!” E ele
começa a acelerar até 90 por hora.

Você quer que ele corra a 90 nessas condições? Embora ele esteja
dentro da lei, embora ele tenha todo direito de fazer isso, você quer
que ele faça tudo que é permitido?

É sempre bom fazer valer todos os direitos que temos? É sempre bom
usufruir de toda nossa liberdade?

Será que é sempre bom a gente fazer o que quiser, desde que não
quebre as regras? Há muita coisa que, como Cristão, eu tenho
liberdade para fazer. Mas, isto quer dizer que é o melhor?

*

“Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são
lícitas, mas nem todas edificam.” 1 Cor 10:23

*

“Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a
liberdade para dar ocasião à vontade da carne (ou à natureza
pecaminosa); ao contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor.”
Gálatas 5:13

*

_________________

*

Leia também:

*

Read Full Post »

Segredos do coração de Deus para o seu coração

 

Deus, movido por seu imensurável e perfeito amor, comprou-nos, pagando com sua própria vida através de Jesus Cristo e nos fez seu JARDIM, um jardim fechado e regado pelo seu Espírito.

Nesse Jardim, Ele deseja entrar e estabelecer um relacionamento de comunhão com cada uma de nós.  Veja o que diz a Palavra em Cantares 2.11-14:

Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi; aparecem as flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu perfume;  levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem. Pomba minha, que andas pelas fendas das penhas, no oculto das ladeiras, mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e a tua face graciosa.”

Deus nos ama e tem para nós uma fonte inesgotável de bênçãos. O Criador do Universo é o maior especialista em todas as áreas e quer compartilhar conosco seus segredos. Segredos que podem alegrar o nosso coração, melhorar o nosso dia e até mudar completamente a nossa vida. Ele quer nos revelar, por exemplo, qual corte de cabelo combina mais com o nosso formato de rosto, quer nos mostrar como acertar o ponto daquele prato que tentamos fazer há tempos. Ele quer nos ensinar os segredos de como conquistar o coração dos nossos filhos, como ter uma noite romântica maravilhosa com nosso esposo e também como resolver nossos problemas financeiros. Enfim, todas as respostas para todas as questões da nossa vida estão nas mãos do nosso Amado Senhor, e Ele quer nos contar seus segredos.

Infelizmente, nem sempre isso é possível. Sabe por quê? Simplesmente porque não preparamos o nosso jardim para recebê-lo. E então sofremos, choramos, nos frustramos e decepcionamos por falta de conhecimento.

Quantas vezes Jesus chegou até a porta do seu jardim, mas nem conseguiu entrar tamanha a desordem do lugar. Outras vezes Ele até entrou, mas havia tanto serviço a ser feito, que foi simplesmente impossível desenvolver qualquer tipo de diálogo mais profundo conosco. E então, vagarosamente Ele se virou e pensou: “Que pena, minha filha, eu tinha tantas coisas para conversar com você hoje… Hoje eu iria te dizer como resolver aquele problema que tem lhe tirado a paz… mas não foi possível, não é mesmo? Amanhã estarei de volta, e quem sabe você poderá me receber e ouvir os segredos que tenho guardado para você.” E assim, dia após dia, Ele volta ao nosso jardim, esperando o tempo certo para nos abençoar. Não porque merecemos, mas porque as suas misericórdias se renovam a cada manhã.

O versículo 15 de Cantares 2 diz assim: “Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor.”  Precisamos estar atentas e cuidar para que nada danifique o nosso jardim. Raposas e raposinhas simbolizam tudo o que entra no nosso coração e mata nossa comunhão com o Pai, impedindo que Ele nos revele seus segredos.

Existem pelo menos quatro atitudes essenciais que precisam ser cultivadas a fim de preparar o nosso Jardim para receber o Amado: quietude, santidade, confiabilidade e intimidade.

1. QUIETUDE

Segredo se fala baixinho, por isso é preciso silêncio para escutá-lo. Uma alma inquieta e aflita, preocupada com muitas coisas, não consegue ouvir a Deus. Num mundo de informações emergentes e com tantas vozes bramando dentro e fora de nós é cada vez mais difícil separarmos um tempo para estar a sós com o Pai. Mas precisamos aprender a calar a nossa alma e, mesmo por alguns instantes, nos desligar do mundo exterior para beber da fonte que é Cristo. Seja num monte durante a madrugada, seja cinco minutos trancada num banheiro, exercite o silêncio interior e esteja preparada para ouvir a voz do Noivo sussurrando ao seu coração.

2. SANTIDADE

Segredo se fala de pertinho, e como é possível permanecer juntinho de Jesus se estamos cheirando mal?  Deus é santo, e o pecado agride sua santidade, fazendo separação entre Ele e nós. A verdade é que o pecado fede e nos afasta do Espírito Santo. Cabe aqui lembrar que viver em santidade é muito mais do que ser assídua aos eventos da igreja ou orar muito. Não são poucas as pessoas que oram, oram, oram, mas nunca mudam. Vivem uma religiosidade vazia e mascarada. Cristo quer um coração cheiroso, limpo, lavado continuamente pelas águas purificadoras de sua Palavra. Ele não resiste àquele que abre mão de tudo para se deleitar quebrantado em sua presença.

3. CONFIANÇA

Segredo se fala a quem se confia. Quantas vezes traímos a confiança de Jesus contando a outras pessoas os segredos que Ele revelou a nós? Ficamos tão impressionadas com o fato de ouvir algo novo de Deus que queremos que todos saibam o quanto somos “espirituais”. Então saímos por aí batendo com a língua nos dentes, soltando aos quatro ventos algo que o Mestre disse especificamente para nós. Oh, pobres mortais que somos!!! Lembre que Deus nos chama de “jardim fechado” e não público. A menos que tenhamos instruções específicas para transmitir uma determinada mensagem a outra pessoa, que aprendamos a guardar no coração os tesouros que Deus tem nos entregado em nosso jardim.

4. INTIMIDADE

Finalmente, segredo se fala com quem se tem intimidade. E intimidade é algo que precisa ser construído a cada dia. Não é automático. Muitos resumem seus momentos com Deus aos cultos semanais, limitam seu relacionamento com o Pai aos “rolês” de fim de semana, vivendo dia após dia como se Jesus não existisse, ignorando sua presença. Jesus é um Deus pessoal e tem sentimentos. Todas nós sabemos o quanto é importante OUVIR da boca do nosso esposo que ele nos ama, não é mesmo? Não nos contentamos com um mero “Ah, eu não preciso falar porque você já sabe.” Mas muitas vezes fazemos isso com Jesus. Pensamos: “Ah, Ele sabe… Ele sabe que eu estou triste, que eu estou feliz, que eu estou com problemas…” e aí nos calamos e paramos para falar com Ele só em situações formais, nas horas de culto, no momento da intercessão. É verdade que Ele sabe, mas Ele quer ouvir da nossa boca, quer conversar conosco. Ele está ao nosso lado o dia todo, aproveite essa presença maravilhosa e cultive sua amizade com Ele. Converse com Ele sobre o almoço, sobre o ônibus que atrasou, sobre aquela desconfiança que apareceu, o pneuzinho abdominal que aumentou… fale sobre tudo o tempo todo. Ele quer ser seu AMIGO.

Há inúmeros e maravilhosos segredos diretamente do coração de Deus para o seu coração, que Ele mesmo quer lhe revelar no aconchego do seu jardim. Apanhe as raposinhas que tem danificado suas flores e apronte-se para o Amado.

Se o seu jardim está seco e abandonado, ferido com tantas tempestades que têm se abatido sobre ele, nosso Maravilhoso Jardineiro está pronto a soprar sobre ti um novo vento, que levará para longe toda a sujeira que os invasores deixaram, fazendo renascer a esperança e brotar nova vida onde antes só havia galhos secos.

Cuide do seu jardim: cultive a cada dia uma alma quieta, uma vida santa, um coração confiável e um relacionamento de intimidade com o Pai, e se delicie nos fartos banquetes que o Noivo tem preparado para aqueles que o amam.

Vai valer a pena!!!

Márcia Cristina Rezende

Bacharel em Educação Religiosa

Marília/SP

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

Read Full Post »


Por Fernando Ortega

Você já sentiu isso?

Tipo, você está no meio do louvor, e começa a adorar. Coloca seu coração em cada palavra, masssssss……. não sente “aquela unção“…… ou presença de DEUS…. como vc queira chamar.
Daí você começa a se perguntar:

– Será que DEUS está recebendo meu louvor?
– Será que tenho algum pecado a ser confessado?
– Será que DEUS se afastou de mim?

Então te pergunto:
– Porque você está perguntando isso?

Você responde:
Ué… porque não to sentindo nada! Acho que Deus não está recebendo minha adoração…..

Béeeeeee!!! Resposta errada!
Quem disse que você precisa sentir algo para adorar a DEUS? Heim? Heim? Heeeeim?????

Vou lhes contar um testemunho:
Estava em meu aposento (huahauha que brega! “Quarto” mesmo!). Então como gosto de fazer, deitei no chão e comecei a orar e adorar a DEUS. Passaram-se os minutos e não sentia  ”aquela presença de DEUS”…..

Passado mais um tempo, disse: “Amém, SENHOR…. vou dormir….” – Disse isso, mas o que meu coração dizia era “já q o SENHOR não vem, eu vou dormir…..”

Coloquei o 1º pé debaixo do edredon qndo DEUS resolve me dar uma lição:

– Fê, porque você está indo dormir?
– Ah PAI…. o SENHOR não veio… fiquei orando e adorando e nada……
– E quem disse que não estava aqui?
– Sei lá…. não senti nada…..
– Ah…. quer dizer que você precisa de um toque pra me adorar?
– Não… é que eu……
– Significa q você é como um carro velho que precisa ser empurrado?
– Não PAI…… é que…..
– Então você precisa sentir algo pra me adorar?
– Ok…. entendi……
– Fê, desde que você fechou os olhos eu estou aqui!!

Cara, eu gosto como DEUS trata comigo! Hahaha!! Sei lá… acho cômico as vezes!

Mas depois de ouvir isso DELE, pulei da cama e voltei a orar e adorar. Dai pra frente durou mais de 1 hora!!!

Com essa lição, aprendi: Você não tem que adorar a DEUS pelo o que ELE faz em você e sim PELO O QUE ELE É!

Se adorarmos a Deus esperando um “toque” Dele, nos estaremos barganhando com Deus em nossa adoração!

Pai, te adoro, mas me toca, faz eu sentir algo tá?

Consegue sentir o quão desprezível isso é?

O que nós queremos fazer com o louvor e adoração é agradar a DEUS certo? (sabendo que nossas vidas por completo devem ser para exclusiva adoração a ELE, quer comamos ou quer bebamos – 1 Coríntios 10:31 )

Ok, agora analisemos o seguinte versículo:

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. – Hebreus 11:6

Vamos analisar este texto:

Sem fé é impossível agradar-lhe:
Não dá pra montar um estudo sobre fé aqui, mas a fé não se baseia em sentimentos! Não tem nada com emocional. DEUS permite que você veja milagres, coisas aconteçam e até sensações em seu corpo com o objetivo exclusivo de te dar/acrescentar fé. Porque é assim que você verá teu Deus agindo e isso fará você crer com mais convicção NELE. Então se você tiver fé (não baseada em emoções) então você estará agradando a DEUS, logo, adorando a Deus.

…porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe:
Não sei se na sua bíblia está diferente, mas na minha diz “CREIA que ELE existe” e não “SINTA que ELE existe”. Perceba que nessa frase tem o “é necessário“. É de suma importância você crer (não é sentir!) que ELE está onde você está!

…e que é galardoador dos que o buscam:
Se você o buscar de todo o coração, não tem como ELE resistir à sua adoração! (Salmos 51:17). Imagina um pai q ouve sua filhinha dizer:

Papai, ti amuuu!!!

Que PAI resiste a isso? Com certeza ele vai correr ao encontro dela e abraçá-la, beijá-la, apertá-la……

A adoração deve ser baseada em nossa fé e não em nossas emoções! Fé é o firme fundamento e emoção é instável.

Talvez você já ficou chateado(a) porque no acampamento todos foram “tocados” menos você, no culto, os irmãos são cheios e você não, no seu quarto parece que a oração não passa do teto…….

Não seja um carro velho! Não se apoie em suas emoções para adorar a DEUS! Apoie-se na fé! Você não precisa sentir que ELE está com você, você precisa CRER que ELE está ali com você!

Não adore a DEUS barganhando. Não o adore só por causa de SUA maravilhosa presença, não o adore já esperando que ELE vai vir e te tocar, não o adore esperando que ELE vai se manisfestar!!!! Adore pelo o que ELE é! Pelo o seu infinito amor!

Você ficaria feliz se as pessoas te procurassem SOMENTE por algo que você tem, ou seja, por interesse?

Morrer na cruz não foi o bastante pra você?

Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor. – Gálatas 5:6

Fé que opera por amor:
Este é um versículo que o SENHOR me mostrou de forma tremenda! Sua fé, deve agir baseada em seu amor a Ele!! Você crê porque O ama!!!

Se na adoração devemos crer, então creiamos amando ELE!

Uhuuuuuuu!! Cara!! Meu coração se enche de alegria enquanto escrevo isso!!! DEUS é fantástico cara!!! Glória a ELE!!! ELE é lindo, lindo, lindo!!!! E cheroso!!! Heheh!

Na próxima vez que você quiser adorá-lo (agradá-lo), faça-o com fé baseada no amor a ELE e crendo que ELE está no exato lugar onde você está! Tipo ae do seu lado enquanto você lê este estudo!

Que tal olhar pra ELE agora e o adorar???

Fonte: Blog Não Morda a Maçã

Read Full Post »

.

Ao contrário do que muitos andam ensinando por aí, Deus nem sempre responde “sim” a todos os nossos pedidos.

Sabemos que muitas coisas podem impedir a eficácia de nossas orações, tais como: falta de fé (Tg 1:6-8), pecados não confessados (Is 59:1-2), distância do Senhor (Jo 15:7), e pedidos mal intencionados (Tg 4:3). Entretanto, Deus pode também, simplesmente responder “não” ao pedido de um filho seu, simplesmente por ser esta a sua vontade.

Foi o que aconteceu com Jesus no Getsêmani (Mc 14:36), com o apóstolo Paulo e seu espinho na carne (2Co 12:7-9), com a enfermidade de Timóteo (1Tm 5:23), com o rei Davi e a morte de seu filho (2Sm 12:15-20), e tantos outros. Nestes casos, não adianta repreender, profetizar, tomar posse ou determinar. A situação foge ao nosso controle, excede nosso entendimento e independe da nossa fé.

Quantas e quantas vezes oramos muito pela cura de uma enfermidade, pela conversão de um ente querido, ou pela solução de um determinado problema, até que um dia acontece o pior, e vemos que aquilo que tanto queríamos não aconteceu. Como aceitar o “não” de Deus se Ele mesmo, em sua Palavra, prometeu nos dar tudo o que pedíssemos?

Primeiramente é preciso lembrar que não podemos nos apegar a um versículo da Bíblia isoladamente. Se em Mateus 11:22 diz que receberemos tudo o que pedirmos com fé em oração, em 1 João 5:14-15 diz que Deus nos atende conforme a sua vontade. Mediante esta realidade, é preciso compreender alguns princípios importantes:

1. A vontade de Deus é sempre boa, agradável e perfeita (Rm 12:2 e 8:28). Nossa visão limitada e imediatista nem sempre consegue enxergar a bondade de Deus em algumas situações de tristeza e dor. Mas o justo vive pela fé, e não por vista. Deus é sempre bom e sempre deseja o melhor para cada um de nós. Mesmo que algumas coisas nos pareçam descabidas e absurdas, é preciso confiar e acreditar que Deus sabe o que faz.

2. Deus é o Senhor e nós os seus servos; Deus é o oleiro, e nós, barro em suas mãos (Is 45:9). Quando Jó questionou a Deus acerca do injusto castigo que lhe fora imposto, o Senhor simplesmente lhe com algumas perguntas que o fizeram lembrar de quem ele era (Jó 38 a 41). Deus é o rei soberano sobre todo o Universo e tem todo o “direito” de intervir (ou não) em cada situação. Não cabe a nós questionar ou discordar de suas decisões. Muitas perguntas continuarão sem resposta. São os mistérios reservados ao Pai (Dt 29:29).

3. A fé não desiste. Resiste. O médico Fernando Oliveira, em seu livro “Quando a bênção não vem”, conta-nos sua experiência de perder a esposa para o câncer após anos de lutas, e adverte: “Nunca devemos deixar de orar pela cura de uma enfermidade. Não podemos nos conformar com a situação, mas prosseguir até o fim, pedindo a intervenção de Deus, crendo que o Senhor dos impossíveis pode reverter aquela situação” (Sl 51:17). “Em Jesus está o amém, o assim seja, o cumpra-se de todas as promessas de Deus. Ele abriu aos homens a possibilidade de desfrutar de todas as promessas. Entretanto, ao Deus soberano está o distribuir dessas promessas, quando e como desejar” (*).

Conclusão: Não temos condições de entender como é administrar o mundo do ponto de vista de Deus, mas em Cristo é possível desfrutar das vitórias nos montes e superar as tribulações dos vales. Deus nunca nos deixa sós e enfrenta conosco o fogo da fornalha quando não nos livra dela (Dn 3). Quando Deus responde “não” e a tão desejada bênção não vem, o Senhor permanece conosco, nos consolando e ajudando a prosseguir pelo “vale da sombra da morte”. Nossa alegria provém do Senhor e não das circunstâncias (Hc 3:17-19). Ele é a nossa força e aquele que nos faz andar vitoriosamente em qualquer situação.

 

* Citação bibliográfica: Oliveira, Dr. Fernando F.M., Quando a bênção não vem. 2ª ed. São Paulo: Abba Press, 2000.

 .

___________________________

.

Márcia Cristina Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
Marília/SP
 
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria.

.

 .

.

Leia também:

.

Read Full Post »

*

ESTE ANO TUDO VAI DAR CERTO… 

…SE VOCÊ ESTIVER NO LUGAR CERTO

 *

*

Cada novo ano que chega traz consigo o milagre da esperança. Nos atrevemos a sonhar com dias melhores, conquistas, vitórias… Alguns apelam para rituais bizarros, rezam, fazem mandinga, tudo para alimentar a tal esperança de que “este ano, tudo vai ser diferente”.

Mas e se existisse, de fato, alguma coisa que podéssemos fazer para garantir que tudo desse certo? Seria mesmo possível determinar como será o ano que está só começando?

Por incrível que pareça, a resposta é sim, e pode ser encontrada na antiga história do Dilúvio. Não amigos, não se trata de mais um delírio de fé. O Dilúvio nos ensina sim que TUDO pode dar certo, se estivermos no lugar certo. Como uma catástrofe ocorrida há milhares de anos pode nos ajudar de alguma maneira ainda hoje? Leia a mensagem até o final e descubra.

A história do Dilúvio é bem conhecida e está registrada em Gênesis, capítulos 6 e 7. A Bíblia nos diz que a geração de Noé estava repleta de corrupção e violência, trazendo a justiça de Deus por meio do dilúvio, e apenas aqueles que estavam no lugar certo (arca) foram poupados.

Não há dúvidas de que hoje também estamos vivendo “dias de Noé”, cercados por corrupção e a violência, e todas as demais mazelas conseqüentes do pecado. Mas há uma maneira nos manter a salvo de tudo isso, que é permanecermos no lugar certo.

*

1. O LUGAR CERTO É JESUS (A ARCA)

 Deus executou o juízo sobre o pecado, mas antes providenciou um meio para a salvação, através da arca. A arca hoje simboliza proteção, segurança, livramento e salvação (Rm 8:1). Noé e a arca representam a salvação em Cristo, conforme 1 Pe 3:20-21.

Noé era justo (Gn 6:9). Seus filhos foram salvos do dilúvio graças à justiça do pai.  A justificação em Cristo, nos faz parte da família de Deus, e é isso que nos torna aptos para a salvação. É uma questão de identidade e não mérito.

Mas cuidado, talvez você pense que já está dentro desta Arca, quando, na verdade, ainda não está. Certamente alguns conterrâneos de Noé ouviram falar da vinda do dilúvio, e pensaram: “eu tenho a minha casa e, caso venha a chuva, eu estarei seguro dentro dela”. Mas note que, na época do dilúvio, havia uma só arca e na arca havia uma só porta (Gn 6:16), e todos que estavam fora dela pereceram (Mt 24:37-39).

Hoje muitos estão dentro da igreja, já foram batizados, mas vivem uma vida espiritual medíocre, como se sempre faltasse alguma coisa. Entra ano e sai ano, mas nada muda, tudo permanece sempre no mesmo nível espiritual. Mateus 7:21 diz que o Reino não é daqueles que professam sua fé apenas com os lábios, mas dos que praticam a vontade de Deus. A Arca não é religião, não é a prática de boas obras, não é assistir cultos, não é trabalhar num ministério, mas estar EM Jesus. Apenas aqueles que recebem a Palavra de Deus e permitem que ela crie raízes e dê frutos serão salvos (Mt 24:13).

*

2. ESTAR NO LUGAR CERTO EXIGE ALGUNS “SACRIFÍCIOS” 

É verdade que não existe esperança para quem está fora da arca, mas os que estavam dentro da arca não foram isentos de dificuldades. Vamos pensar em algumas.

Inimizade do mundo. Imagine o que Noé e sua família ouviram dos vizinhos e parentes enquanto a arca estava sendo construída. E, pra piorar, eles entraram na arca, mas durante 7 dias ainda não choveu (v.10). O que Sem teve que ouvir de sua sogra sobre a decisão de entrar com a filha dela naquela arca? Qual teria sido a atitude de Matusalém diante do aviso do Dilúvio? Matusalém (avô de Noé), o homem que mais viveu em todos os tempos, morreu no ano do dilúvio. Seria coincidência ou conseqüência da catástrofe? Certamente eles foram obrigados a suportar atitudes de ridicularização, humilhação e zombaria. Estar em Jesus também implica muitas vezes em ter que suportar incompreensão e ataques por parte daqueles que estão do lado de fora da Arca – João 15:19.

Separação do mundo. Entrar na arca exigiu que eles abandonassem por completo suas atividades, trabalho, lazer. Noé e sua família precisaram renunciar à vida que tinham para que pudessem continuar vivos. Jesus nos convida também a abandonar tudo para segui-lo (Lc 9:23). Esse abandonar significa colocar tudo em segundo plano. Significa também abandonar a vida de pecado em busca de uma vida de santificação. Algumas vezes, isso pode exigir uma atitude radical, como terminar um namoro ou mudar de emprego (Mt 5:29-30), mas as coisas só darão certo se aprendermos a fazer as prioridades corretas.

Perda do controle. A arca não possuía leme, vela nem bússola. Noé e sua família entraram na arca sem saber quando sairiam dela, nem para onde ela os levaria. Estar em Cristo significa confiar Nele – Salmos 37:5. Muitas vezes nós tomamos a iniciativa, fazemos nossos planos e projetos e só depois pedimos para Deus abençoar. Mas é preciso nos lembrar que é Deus quem está na direção. É Ele quem vai fazer os planos e projetos. Estamos dentro da arca, Ele é o chefe. Estamos aqui para cumprir a vontade Dele.

*

3. ESTAR NO LUGAR CERTO É GARANTIA DE VITÓRIA

Pare e pense: quem estava na arca estava preso ou estava livre? E quem estava fora dela? Estar solto no mundo pode criar a ilusão de que está em liberdade enquanto quem está em Cristo (na Arca) está preso. Entretanto, um olhar mais apurado vai concluir sem dificuldades de que a verdadeira liberdade, aquela que nos livra da morte, pode ser encontrada só em Jesus.

A vida dentro da arca é uma vida diferente. Viver com Jesus é estar no mundo, mas ao mesmo tempo, estar fora dele.

Se todas as nossas atitudes estiverem sob o senhorio de Cristo (dentro da cobertura da Arca), tudo estará sob sua bênção e proteção.

Para quem está dentro da arca, tudo está sob a direção divina. Não dava pra Noé orar dentro da arca e ir almoçar fora dela, por exemplo. Da mesma forma, para quem está em Cristo, ir à igreja é um ato espiritual, da mesma forma que comer uma pizza depois do culto também o é. Falar de Jesus é um ato espiritual, assim como conversar com os colegas durante um jogo de futebol também o é. O namoro, o trabalho, o relacionamento conjugal, a vida em família, os negócios, as compras, a dieta, tudo o que somos e fazemos é para o Senhor.

Noé e sua família creram (obedeceram) e foram salvos – Hb 11:7.

8

CONCLUSÃO 

Não sabemos o que vai acontecer em 2011. Com certeza nossa arca será atacada pelas ondas, pelas opiniões de pessoas, enfrentaremos tempestades, teremos que renunciar a algumas coisas das quais gostamos e perderemos o controle sobre a nossa própria vida… Mas, no fim, se estivermos EM CRISTO, tudo vai dar certo. Deus está no comando e Ele sabe o que faz. 

Deus quer fazer uma aliança com você nesta hora, assim como Ele fez com Noé.

Acima de qualquer projeto que você já fez ou vai fazer para este novo ano, decida em primeiro lugar permanecer no lugar certo. Afinal, tudo vai dar certo se você estiver no lugar certo. E este lugar é JESUS.

*

*

Márcia Cristina C. Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
3ª Igreja Batista de Marília
 *
Permitida reprodução, sem fins lucrativos,
desde que citada a autoria e fonte.

 

 *

LEIA TAMBÉM:

*

Read Full Post »

Ah, que bálsamo para a alma encontrar servos de Deus que amam ao Senhor pelo que Ele é. Que o temem e o adoram, sem santidade e honra, porque Ele é digno! Ouvindo a Rádio “Adoração Online” esta manhã, de repente me deparei com esta canção. Lágrimas vieram aos meus olhos ao notar a profundidade e beleza da letra. Aleluia, ainda existe uma Igreja apaixonada por Jesus e que ansiosamente espera pela vinda do Noivo.

Reflita na letra desta bela música e que possamos todos nós vivenciar essa verdade e experimentar a alegria da verdadeira adoração.

 

 

Minha Porção

Ministério Ipiranga

Composição: Peter Quintino

 

Senhor, és tudo para mim
Maior do que as riquezas deste mundo
És meu Deus, És tudo o que tenho
Deus fiel

Não quero Te adorar pelo que fazes
Mas quero Te adorar pelo que És
Ainda que nada eu tenha
Eu tenho a Ti

Eu não preciso de riquezas para Te adorar
Eu não preciso de promessas para ser fiel
Eu só preciso de Tua presença
Tua graça basta em mim
Tu és minha porção
E a minha herança, Jesus

 

 

Leia também:

Eu me louvo, Senhor

Deus é…

Manhã sobre o monte

 

 

Read Full Post »

 Penetrado pela Palavra - John Piper

.

Você já se perguntou por que o perdão de Deus é valioso? Ou, se a vida eterna é valiosa? Já se perguntou por que alguém quer ter a vida eterna? Por que desejamos viver para sempre? Estas questões são importantes por ser possível desejarmos perdão e vida eterna por motivos que comprovam que não os temos.

Por exemplo, considere o assunto do perdão. Talvez você queira o perdão de Deus por que está muito infeliz com sentimentos de culpa. Você quer alívio. Se puder crer que Deus o perdoa, você terá algum alívio, mas não necessariamente a salvação. Se quer o perdão somente por causa de alívio emocional, você não receberá o perdão de Deus. Ele não dá o seu perdão àqueles que o usam apenas para ter os dons dEle e não a Ele mesmo.

Ou, talvez, você queira ser curado de uma enfermidade ou conseguir um emprego e encontrar uma esposa. Então, você ouve que Deus pode ajudá-lo a obter estas coisas, mas que, primeiramente, seus pecados teriam de ser perdoados. Alguém o exorta a crer que Cristo morreu por seus pecados e lhe diz que, se você crer nisto, seus pecados serão perdoados. Conseqüentemente, você crê, a fim de que seja removido o obstáculo à sua saúde e consiga um emprego ou uma esposa. Isto é salvação pelo evangelho? Não creio que seja.

Em outras palavras, o que você espera receber por meio do perdão é importante. O motivo por que você deseja o perdão é importante. Se quer o perdão tão-somente por que deseja gozar da criação, então, o Criador não é honrado e você não é salvo. O perdão é precioso por uma única razão: ele o capacita a desfrutar da comunhão com Deus. Se esta não é razão por que você quer o perdão, você não o terá de maneira alguma. Deus não será usado como moeda para a compra de ídolos.

Também perguntamos: por que desejamos ter a vida eterna? Alguém pode responder: “Porque o inferno é a alternativa dolorosa”. Outro pode dizer: “Porque não haverá nenhuma tristeza no céu”. Outro pode replicar: “Meus queridos foram para o céu, e quero estar com eles”. Outros poderiam sonhar com sexo e alimentos intermináveis, ou com algo mais nobre. Em tudo isso, Alguém está ausente: Deus.

O motivo salvífico para querermos a vida eterna é apresentado em João 17.3: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”. Se queremos a vida eterna por ela significar outra coisa, e não o regozijo em Deus, não teremos essa vida. Enganamos a nós mesmos dizendo que somos cristãos, se usamos o glorioso evangelho de Cristo para buscar o que amamos mais do que buscamos o próprio Cristo. As “boas-novas” não se comprovarão como boas para qualquer pessoa que não tenha a Deus como seu principal bem.

Jonathan Edwards apresentou esta verdade em um sermão1 à sua igreja, em 1731. Leia estas palavras lentamente e permita que elas o despertem para a verdadeira vida e o verdadeiro bem do perdão.

Os redimidos têm todo o seu verdadeiro bem em Deus. Ele mesmo é o grande bem que possuem e desfrutam por meio da redenção. Deus é o bem mais sublime, a suma de todo o bem que Cristo adquiriu. Deus é a herança dos santos; é o quinhão da alma deles. Ele é a riqueza e o tesouro, o alimento, a vida, a habitação, o ornamento e a coroa, a glória eterna e duradoura dos santos. Eles não têm nada no céu, exceto a Deus. Ele é o grande bem no qual os crentes são recebidos na morte e para o qual eles devem ressurgir no fim do mundo. O Senhor Deus, Ele é a luz da Jerusalém celestial; é o “rio da água da vida” que corre e a “árvore da vida” que cresce “no paraíso de Deus”. As gloriosas excelências e belezas de Deus fascinarão para sempre a mente dos santos, e o amor de Deus será o deleite eterno deles. Com certeza, os redimidos desfrutarão outras alegrias. Eles se alegrarão com os anjos e uns com os outros. Mas aquilo que lhes encantará nos anjos e uns nos outros, ou em qualquer outra coisa; aquilo que lhes proporcionará deleite e felicidade será o que de Deus poderá ser visto neles.

 .

 .
Extraído do livro: Penetrado pela Palavra, de John Piper.
Copyright: © Editora FIEL 2009
O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

.

_____________________

.

Leia também:

.

Read Full Post »

“Estando Jesus a caminho, uma multidão o comprimia. E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia e gastara tudo o que tinha com os médicos; mas ninguém pudera curá-la. Ele chegou por trás dele, tocou na borda de seu manto, e imediatamente cessou sua hemorragia. “Quem tocou em mim?”, perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”. Mas Jesus disse: “Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder”. Então a mulher, vendo que não conseguiria passar despercebida, veio tremendo e prostrou-se aos seus pés. Na presença de todo o povo contou por que tinha tocado nele e como fora instantaneamente curada. Então ele lhe disse: “Filha, a sua fé a curou! Vá em paz”.  Lucas 8:42-48

*

Muito já se falou e pregou sobre a história dessa mulher anônima que foi curada por Jesus ao tocar na borda de seu manto. Mas, como a Bíblia é viva, escrita por um Deus vivo para pessoas vivas, sempre há algo de novo do coração de Deus para o nosso coração.

Quando leio esse texto, vejo claramente três elementos:

 *

1. O Manancial das Bênçãos – A mulher foi curada quando tocou em Cristo. Por quê? Porque Nele está a fonte de todas as bênçãos. “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tg 1:17). Vivemos num mundo incerto e cruel e, enquanto estivermos vivos enfrentaremos lutas, provações, enfermidades, decepções. Mas, existe um lugar de descanso, um lugar de paz, refrigério, beleza, onde podemos nos achegar confiantemente e receber ali o que precisamos para prosseguir. Neste lugar sempre há cura para o enfermo, descanso para o cansado, paz para o aflito, resposta para o confuso, salvação para o perdido, correção para o errante, força para o desanimado, amor para o carente, direção para o desencaminhado. É Deus “quem perdoa todos os meus pecados e cura todas as minhas doenças, que resgata a sua vida da sepultura e o coroa de bondade e compaixão, que enche a sua vida de bens, de modo que a sua juventude se renova como a águia” (Sl 103:3-5).

*

2. Um ser chamado Gente – Aquela mulher sem nome é uma representação de todos nós. Todos nós temos as nossas mazelas, nossas infecções, nossas doenças, feridas, iniqüidades, mágoas da infância, pecados ocultos, rancores, defeitos. Nascemos e vivemos no meio de Gente e só isso é suficiente para nos deixar rugas profundas no corpo e na alma. Estamos todos feridos. Sangramos por causa de abusos físicos e emocionais causados por pessoas que deveriam nos proteger. Sangramos por causa dos golpes que desferimos em nós mesmos nos pensamentos, recalques, complexos, escolhas erradas. Sangramos por causa do pecado que nos rodeia ou de satanás que não nos deixa em paz. Gente carente, sangrando, se esvaindo de si mesmo, e à procura de cura, clamamos pelas ruas “estou aflito e necessitado, e o meu coração está ferido dentro de mim. Vou-me como a sombra que declina; sou sacudido como o gafanhoto. De jejuar estão enfraquecidos os meus joelhos, e a minha carne emagrece. E ainda lhes sou opróbrio; quando me contemplam, movem as cabeças. Ajuda-me, ó SENHOR meu Deus, salva-me segundo a tua misericórdia.” (Sl 109:22-26).

*

 3. Uma multidão de estorvos – Entre a mulher gente que precisava de cura e o Manancial das Bênçãos onde estava a cura, havia muitos estorvos: pessoas, debilidades físicas, falta de recursos, preconceito, rejeição, religiosidade, regras, tradições… Hoje também não são poucos os estorvos  que surgem no meio do caminho, roubam a nossa atenção, nos distraem e tentam nos impedir de chegar à nossa cura. A cada dia precisamos sair do nosso “acampamento”, abandonar a rotina e nos assentarmos aos pés do Senhor, tocar na orla de seu manto, sentir seu cheiro, receber de sua seiva. Mas, no meio do caminho, sempre haverão estorvos para tentar nos impedir ou atrasar. Esse trajeto para a cura nunca será fácil. “Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos.” (Hb 12:1-3).

*

Sempre estaremos doentes e sangrando, sempre haverá um Manancial de Bênçãos em Cristo e sempre haverá estorvos no meio do nosso caminho. Mas assim como aquela mulher venceu a si mesma, superou todos os estorvos, e alcançou a sua bênção, poderemos sempre também fazer o mesmo. “Como pastor ele cuida de seu rebanho, com o braço ajunta os cordeiros e os carrega no colo…” (Is 40:11)

Ninguém notou quando ela tocou em Jesus, mas o seu milagre não passou despercebido, apesar de sua discrição. Quando nos encontramos com Jesus somos transformados, e quando somos transformados não dá para permanecermos escondidos.  Impossível esconder uma luz que está acesa.

Tudo que precisamos está em Deus, à nossa disposição. Busque-o, pois é seu prazer nos banquetear com a sua presença. “Como é precioso o teu amor, ó Deus! Os homens encontram refúgio à sombra das tuas asas. Eles se banqueteiam na fartura da tua casa; tu lhes dás de beber do teu rio de delícias. Pois em ti está a fonte da vida; graças à tua luz, vemos a luz.” (Sl 36:7-9)

*

____________________

*

Márcia Cristina Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
Marília/SP
 
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria. 

*

*

LEIA TAMBÉM:

*

  *

Read Full Post »

Esse texto é uma daquelas pérolas raras que encontramos pela vida. Um deleite para a alma e para o espírito! Foi extraído do livro “Pensamentos para horas tranquilas”, uma compilação de devocionais feita pelo memorável D.L.Moody, e publicado pela CPAD. Depois de ler este pequeno trecho que, na verdade, é uma oração, tive meus sentidos arrebatados por alguns momentos. Refeita e de volta à realidade, percebi que não poderia guardá-lo só para mim, tamanho sua riqueza e profundidade.  Prossigo a vida desejando, dia após dia, suprir-me do Senhor no monte a cada manhã. Que assim seja!

 

“Subas pela manhã… e… põe-te diante de mim no cume do monte.” 

Exodo 34.2

 

 

 

Pai, estou chegando. Nada daquela pobre planura deve manter-me afastado das santas elevações.  Ajuda-me a subir depressa e guarda-me os pés, para que não caiam sobre as rochas duras!  Venho a teu convite. Portanto, não decepciones meu coração. Peço que do céu me tragas mel, sim, leite e vinho, e óleo para deleitar minha alma, e que detenhas o sol em seu curso, ou o tempo será curto demais para eu poder contemplar tua face e ouvir tua doce voz.  Manhã sobre o monte! Isso me fará forte e grato durante todo este dia que começa tão bem.

Joseph Parker

 

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »