Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Ventos de Doutrinas’ Category

papaDesde sua nomeação em março de 2013, o Papa Francisco, líder supremo da Igreja Católica, tem colecionado elogios, do clero, dos fiéis, da mídia e da população em geral.

Não há dúvidas de que se trata de uma pessoa carismática, que tem conquistado a todos com sua simplicidade, humildade e preocupação com o próximo. Sua visita ao Brasil foi considerada um sucesso! Por onde passou distribuiu afago, carinho e atenção.

O CRISTIANISMO, mais do que uma religião ou um conjunto de dogmas e doutrinas, é um estilo de vida. Uma vida que tem como alicerce os ensinos de Jesus Cristo no Novo Testamento.

O Catolicismo tem passado por um forte avivamento através do movimento carismático. Mas sem me ater a detalhes de formas e cultos ou diferentes interpretações de alguns ensinos bíblicos, o que me preocupa é a sutil DETURPAÇÃO DA ESSÊNCIA DO CRISTIANISMO por parte de muitos cristãos.

Não nego que sou admiradora do Papa Francisco, e da maneira como, até agora, ele tem conduzido sua liderança. Mas diante de tudo que conheço, com imenso respeito aos que pensam ou crêem de forma diferente, considero dois os equívocos fatais do Catolicismo em geral: colocar Deus em segundo plano (atrás de Maria, dos santos e dos sacramentos) e ensinar que a prática ou não de obras de caridade influenciam diretamente na nossa salvação. 

*

O que a Bíblia diz:

A Salvação só pode ser alcançada mediante a graça de Deus, através da nosso arrependimento e fé em Cristo Jesus:

“Pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos.” 1 Timóteo 2:5-6

*

A Bíblia ensina que oremos apenas a Deus.  Na igreja cristã primitiva, nunca houve orações dirigidas a Maria, nem aos santos mortos. Todas as bênçãos e milagres que recebemos vem de Deus, e não de homens.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” Disse Jesus, em Mateus 11:28

“E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.” Atos 10:25-26

“Porque então te deleitarás no Todo-Poderoso, e levantarás o teu rosto para Deus. Orarás a ele, e ele te ouvirá.” Jó 22:26-27

“Não erreis, meus amados irmãos. Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” Tiago 1:16-17

*

O Evangelho diz que todos os homens, com a única exceção de Cristo, são pecadores. Maria foi uma mulher temente a Deus, escolhida para gerar o Salvador em seu ventre, mas também era pecadora; e assim como José, João, Pedro, Paulo, Jorge, Francisco, Antônio, e todos os demais “santos” da igreja, precisaram de Jesus para serem salvos, tanto quanto cada um de nós. Nenhum ser humano é digno de receber nossas orações ou veneração. 

“Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, e são justificados gratuitamente por sua graça; tal é a obra da redenção, realizada em Jesus Cristo.” Romanos 3:23-24

“Pois já demonstramos que judeus e gregos estão todos sob o domínio do pecado, como está escrito: Não há nenhum justo, não há sequer um.” Romanos 3:9-10

“Como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim a morte passou a todo o gênero humano, porque todos pecaram…” Romanos 5:12

*

Jesus se fez acessível a todos, e deseja que nós o busquemos diretamente, de todo o coração, sem nenhum tipo de mediador.

Disse Jesus: “Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem a mim. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão.” João 10:14, 27-28

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” Hebreus 4:15-16

“Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé” Hebreus 10:19-22

*

A veneração à imagens, anjos, cruz e relíquias sempre foi considerada idolatria na Bíblia e na igreja cristã primitiva. Tal prática foi autorizada na Igreja Católica por volta do ano 800 d.C. pela imperatriz Irene.

Portanto, meus amados, fugi da idolatria. Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. 1 Coríntios 10:14, 19-20

“Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.” Êxodo 20:4-5

**

00

*

Certa vez, conversando com um seminarista que se preparava para o sacerdócio, perguntei o que ele achava dos ídolos e santos venerados na igreja. Ao que ele me respondeu: “Márcia, a gente sabe que isso tudo não é verdade (referindo-se ao poder de Maria e de todos os santos), mas eu não posso de repente chegar e dizer ao povo que tudo o que eles sempre acreditaram é mentira! Criaria um caos! Eles perderiam seu referencial de vida! Então, o menos complicado é continuar lhes alimentando a fé, e lhes dando uma esperança, uma razão de viver.”

Creio que, infelizmente, esta é a filosofia de muitos líderes católicos. Conhecem a verdade, porque estudam as Escrituras, mas se vêem mais fracos que uma tradição que dura séculos.

Perguntei a este mesmo seminarista se ele não temia o juízo de Deus sobre a vida dele por contribuir com a cegueira espiritual de tantas pessoas. Ele disse que sim, embora não tivesse escolha.

Mas existe sim uma escolha! Não é preciso que “mudem de religião”, mas tão somente que se voltem à essência do Evangelho descrito nas Escrituras, como muitos já tem feito. Como o próprio Papa afirmou em entrevista a um jornalista da Rede Globo: “A igreja sempre precisa ser reformada”. Que esta reforma seja não só moral, política e administrativa, mas também em sua forma de exercício da fé.

 *

SÓ JESUS CRISTO SALVA!

*

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.  João 14:21

Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.  João 8:12

*

*  *  *

*

Ser Igreja

*

Márcia Rezende

Bacharel em Teologia e Educação Religiosa

Marília/SP

*

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

___________________________________

Leia também:

*

Anúncios

Read Full Post »

Fuja dos falsos evangelhos! Ainda há tempo…

*

Assisti, há algum tempo, a uma pregação de Carter Conlon, pela qual enfatizou: “CORRA!”. De maneira contundente, ele asseverou que os servos de Deus devem correr, fugir, escapar dos falsos evangelhos propagados pelos enganadores do nosso tempo.

No Novo Testamento há vários mandamentos relativos à fuga do mal. A Palavra de Deus nos ordena a fugirmos — a nos desviarmos, a escaparmos — dos pecados, pois a única coisa que pode nos afastar do amor de Deus, endurecendo o nosso coração, é a permanência no pecado (Hb 3.12-14). Por isso, o apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, afirmou: “Fugi da prostituição” (1 Co 6.18); “fugi da idolatria” (1 Co 10.14); “saí do meio deles” (2 Co 6.17); “foge destas coisas” (1 Tm 6.11); “Foge também dos desejos da mocidade” (2 Tm 2.22), etc.

Precisamos correr, fugir, escapar dos falsos ensinamentos propagados pelos enganadores que estão “entre nós” (At 20.28-30; 2 Pe 2.1). Os falsos evangelhos são as falsas boas novas; as verdades misturadas com mentiras; os acertos e erros mesclados; é leite contaminado (1 Pe 2.1,2).

*

Fuja do evangelho experiencialista, baseado em experiências exóticas, em revelações obtidas depois de pretensas visitas ao Céu e ao Inferno e em técnicas psicológicas, como a regressão até o ventre materno (Dt 13.1-4; Jo 10.41).

Fuja do evangelho antropocêntrico, pelo qual o ser humano é tacitamente endeusado e estimulado a confiar mais na autoajuda do que na Ajuda do Alto (1 Pe 5.6; Fp 4.11-13).

Fuja do evangelho da prosperidade, pelo qual enganadores, webenganadores e telenganadores, abrindo mão do tesouro celestial (Mt 6.19-21), enriquecem e levam cativas pessoas enganadas, webenganadas e telenganadas, as quais deixam de usufruir do grande tesouro da salvação (2 Co 4.7).

Fuja do evangelho ecumênico, que valoriza um falso amor, mal direcionado, centrado em interesses próprios, abrindo mão da Verdade (Jo 14.23).

Fuja do evangelho cessacionista, pelo qual se afirma que a multiforme manifestação do Espírito Santo cessou, desprezando as profecias e extinguindo o Espírito (At 2.39; 1 Ts 5.19-21).

Fuja do evangelho neopentecostal, que banaliza os dons, ministérios e operações do Espírito Santo, levando incautos a pensarem que podem profetizar a qualquer hora, como bem entendem, e manipular a manifestação sobrenatural do Espírito (1 Co 14).

Fuja do evangelho farisaico, legalista, propagado e seguido por muitos líderes que “coam mosquitos”, mas “engolem camelos”, verberando contra efemeridades, sem ver “traves de madeira” enormes em seus próprios olhos (Mt 23).

Fuja do evangelho do entretenimento, que oferece toda a diversidade mundana num contexto “evangélico”, como apresentações de vale-tudo, shows de hip-hop, street dance, etc. (Rm 12.1,2; Tg 4.4).

*

Se você quer verdadeiramente ser vencedor até o fim, fuja de todos os falsos evangelhos e atente para o que está escrito em 1 Coríntios 15.1,2:

Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado, o qual também recebestes e no qual permaneceis; pelo qual também sois salvos, se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado, se não é que crestes em vão”.

*

Autor: Ciro Sanches Zibordi
**
________________

*

LEIA TAMBÉM:
*
*

Read Full Post »

.

 Epoca-sobre-os-novos-evangelicos-79

.

Esta semana (09/08/2010) a capa da Revista Época trouxe como título “Os Novos Evangélicos” e diz que a Igreja no Brasil está precisando de uma Nova Reforma, chega a ser ridículo comparar o que está acontecendo hoje no Brasil, com o que fez Martinho Lutero à Igreja Católica Apostólica Romana.

Hoje as pessoas estão generalizando tudo, semelhantes a Elias no dia em que pensou estar sozinho em Israel, Deus o alertou dizendo que existiam 7 mil que não haviam se prostrado e adorado à Baal. Igualmente existe no Brasil muito servos e servas de Deus que andam pelo caminho que a Bíblia ensina.

É certo que existem muitas denominações e algumas até divergentes, porém a grande maioria ainda prima pela Palavra de Deus, e a matéria da Revista colocou todas denominações em um saco e disse que precisaríamos de uma Nova Reforma! O que a tal Revista entende de Reforma?

É importante lembrar que na matéria, não se fala sobre as maiores denominações no Brasil, como Assembleia de Deus, Deus é Amor, Quadrangular e Batista. A Matéria entrevista alguns líderes evangélicos de pequenos grupos que ‘filosofando’ muito, procuraram enfatizar sobre  a necessidade de haver uma mudança de paradigmas no meio protestante. Um dos entrevistados é Ricardo Gondim pastor da Assembléia de Deus Betesda (não filiada à CGADB) simpatizante da Teologia Relacional ou Teísmo Aberto, que afirma entre outras coisas que Deus é apenas um observador da história, ou seja, mais um ser inserido no tempo ao invés de Senhor e mantenedor de tudo que existe.

.

“Dividir para enfraquecer”

Na reportagem também há sugestões de alguns “líderes” sobre reuniões em casa ao invés de nos templos, afirmando serem as reuniões em casa mais bíblicas do que a dos templos. É importante ressaltar que nem o próprio Jesus Cristo substitui as reuniões do Templo,  facilitaríamos as coisas para nosso inimigo com reuniões somente em casas. Em Atos 5.42 diz-nos a Bíblia: “E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo.”

Não podemos generalizar nada no meio Evangélico, muito menos utilizar a opinião de pequenos grupos para refletir a opinião de mais de 40 milhões de cristãos que vivem no Brasil.

A sutileza da revista pode passar despercebida para muitos, mas não por todos.

Não REVISTA ÉPOCA, não precisamos de uma Nova Reforma Protestante!

.

Fonte: Gospel Prime

.

______________________

Leia também:

.

Read Full Post »

 

EM NOME DE JESUS, EU PROFETIZO!!!…   

M E S M O ? ? ?

*

É bastante comum em nossos dias ouvirmos certas palavras de ordem, precedidas pela expressão “eu profetizo”: “EU profetizo que este ano eu vou comprar meu carro”; “EU profetizo que até o final deste mês eu vou arrumar um namorado”; “EU profetizo que todas as minhas dívidas serão pagas”; e assim por diante. Será esta uma prática bíblica?

Tal orientação tem sido a tônica da maioria das igrejas neo-pentecostais, e tem trazido muita confusão no meio evangélico.

Antes de mais nada, precisamos entender que PROFETIZAR significa “falar em nome de Deus”; é transmitir uma mensagem de Deus a outra pessoa; é receber do Senhor uma palavra e transmitir a outra(s) pessoa(s). Exemplos:

“Então o Senhor me disse: Profefize a estes ossos e diga-lhes: Ossos secos, ouçam a palavra do Senhor! Assim diz o Soberano, o Senhor, a estes ossos: Farei um espírito entrar em vocês, e vocês terão vida…”‘ Ezequiel 37:4

“O Senhor me tirou do serviço junto ao rebanho e me disse: Vá, profetize a Israel, o meu povo. Agora ouça então a palavra do Senhor… ” Amós 7:15

“Assim diz o Soberano, o Senhor: acenarei para os gentios, erguerei a minha bandeira para os povos…” Isaías 49:22

Como filhos de Deus, podemos sim entregar nossos pedidos ao Pai e, pela fé, crer que receberemos, mas isso não é profetizar!

As Escrituras afirmam que a fé crê em algo que ainda não existe, vislumbra uma situação como se já tivesse acontecido, antes mesmo de acontecer (Hb 11:1). Assim sendo, podemos sim, declarar, pela fé, que “este ano eu vou comprar meu carro”, por exemplo. Mas de modo algum chamar isso de profecia… Nem tampouco achar que uma determinada declaração, por si só, têm o poder de materializar todas as coisas, mesmo que não estejam dentro dos propósitos de Deus.

É preciso tomar cuidado com o que falamos, afinal, a Bíblia diz que iremos dar conta de cada palavra que saiu de nossa boca (Mt 12:36).

SE Deus realmente lhe deu uma promessa, SE Ele falou ao seu coração e lhe mandou profetizar, então profetiza irmão, sem medo (At 18:9)! Mas caso contrário, não ouse dizer nada de si mesmo afirmando que “Deus mandou dizer”, ou “profetizar”… A Palavra é bem clara e bastante dura com relação a isso:

“ASSIM DIZ O SOBERANO, O SENHOR: AI DOS PROFETAS TOLOS QUE SEGUEM O SEU PRÓPRIO ESPÍRITO E NÃO VIRAM NADA! … SÃO COMO CHACAIS NO MEIO DE RUÍNAS. DIZEM ‘PALAVRA DO SENHOR’, QUANDO O SENHOR NÃO OS ENVIOU… POR CAUSA DE SUAS PALAVRAS FALSAS E DE SUAS VISÕES MENTIROSAS, ESTOU CONTRA VOCÊS. PALAVRA DO SOBERANO, O SENHOR.” Ezequiel 13:3, 4, 6 e 8

Deus deseja que seu povo desenvolva um relacionamento de intimidade e comunhão com Ele, mas esse relacionamento precisa ser permeado de temor. Deus é Senhor e nós somos seus servos – essa verdade precisa estar fortemente gravada em nossos corações. Falar em nome de Deus algo que Ele não mandou dizer é falta de temor ao próprio Deus.

Sim, Deus é amor, mas com Deus não se brinca. De Deus, não se zomba. “Quem quiser amar a vida e ver dias felizes, guarde a sua língua do mal e os lábios da falsidade.” 1 Pe 3:10

*

Márcia Cristina Rezende

Bacharel em Teologia e Educação Religiosa

Marília/SP

*

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

 *

* *

 ________________________________________________________

Leia também:

Read Full Post »

Publicado integralmente em “Outros papos” por Fernanda B. Lobato

http://www.ultimato.com.br/blog/2010/04/06/outros-papos/mentiras-contradicoes-e-ilusoes.html

 

 

Ando meio desapontado com minha geração. O modelo de cristianismo evangélico que prolifera Brasil afora me causa arrepios. O que é motivo de festa para alguns, gera em meu coração desconfiança e inquietação.

Não, não celebro o explosivo aumento do número de evangélicos em nosso país. Não vejo motivos para encher a mão de confetes, pegar instrumentos musicais, reunir amigos e comemorar.

Acreditem, é mais do que hora de pararmos a festa, recorrermos à sobriedade e analisarmos francamente as reais condições do barco em que ousamos entrar. Um diagnóstico preciso pode salvar-nos. É insanidade farrear no convés de uma embarcação cujo casco está furado.

Desesperador é notar que os evangélicos de hoje não exercem a influência social que seus números sugerem. Pesquisas realizadas por institutos respeitadíssimos como o Barna Group, dos EUA, apresentam estatísticas mostrando que os cristãos evangélicos estão a ponto de assumir estilos de vida tão hedonistas, materialistas, egoístas e imorais quanto os do mundo em geral.

Precisamos, urgentemente, de uma reforma espiritual no Brasil. O modelo de espiritualidade onde se venera o carisma e negligencia o caráter deve ser abolido do nosso meio. Da mesma forma, devemos descartar a religião que promove seres hipnotizados por glória e poder.

É também necessário que haja um retorno imediato à santidade. Uma busca incessante pela pureza. Que nossos jovens optem por estilos de vida que irradiem luz; que desistam de protagonizar esta novela evangélica, onde sempre encarnam o papel de OO7, atuando como agentes secretos de Deus aqui na terra; que não sejam escravos do sexo; que abandonem a pornografia e desistam das técnicas de sedução onde precisam entulhar páginas de relacionamento virtual com imagens que apresentam e oferecem seus corpos como poderosos instrumentos sexuais (mesmo que “jurem de pés juntos” que não é por esse motivo que o fazem!).

Choros, cambalhotas, lágrimas, declaração de bênçãos, promessas e mais promessas, sonhos megalomaníacos ou êxtase entorpecente a cada novo culto não garantem mudança reais e significativas. Aliás, não passam de mera inutilidade. Estou farto de ver jovens, a cada novo culto, buscando a “re-re-re-reconciliação” com o Senhor.

Mas não desanimemos: ainda há esperança! É possível mudar este quadro. Retorno à fiel Palavra de Deus, vida diária de oração e comunhão sincera com nossos irmãos: este é o ÚNICO caminho para a reversão dessa triste realidade.

Do contrário, podemos voltar ao nosso barco furado e continuar a festa regada a muita música, confete, “unção” e euforia. Mas atente para esta importante recomendação de bordo: Antes do fim da viagem, reserve alguns instantes e observe o trabalho dos remadores. Note que olham para um lado e remam para o outro. Reproduzir esta prática navegando na vida cristã é arriscadíssimo. Se continuarmos a olhar para o céu com nossa “profissão de fé” enquanto remamos para o inferno com nossas práticas, sofreremos as danosas consequências.

 

***

 

 

Read Full Post »

Afinal, para quem são as músicas que cantamos em nossas igrejas?


  Mais que vencedor EU sou…

♪  EU te busco…

  Sobre a tempestade EU voarei…

  EU vou subir a montanha…

  Dá-ME filhos…

  Chove aqui na MINHA vida…

♪  EU vou saltar as muralhas…

  Uma nova história Deus tem pra MIM

  Faz um milagre em MIM

  EU tenho uma palavra…

  Cura-ME, abraça-ME

  Onde eu puser a planta dos MEUS pés, possuirei…

  Bendito EU serei…

  EU tenho uma palavra… 

  Hoje o MEU milagre vai chegar…

  EU tenho sede… 

  Prepara-ME uma mesa na presença dos MEUS inimigos…

  EU vou viver uma virada em minha vida, EU creio…

  EU serei pai de multidões…

  EU vou dançar na chuva…

  EU não posso te deixar…

  Ainda bem que EU vou morar no céu…

♪  EU estou desesperado…

♪  Abre o mar pra MIM

♪  EU sou livre…

♪  EU não vou desistir, cavarei um pouco mais…

♪  EU, EU, EU…. EU quero….

♪  Olha pra MIM

  EU …

  EU …

  EU …

*

Repetidas vezes temos ido aos cultos não para cultuar (prestar um culto de adoração) a Deus, mas principalmente para buscar algo que supra as NOSSAS necessidades e desejos. Nossa tendência é nos esquecer de que fomos criados para adorá-lo, independente do que somos, do que precisamos, ou do que queremos. Como igreja, devemos nos reunir em primeiro lugar para reconhecer quão grande é o Senhor, louvá-lo, expressar nossa adoração com músicas e palavras, ou seja, o foco é ELE “porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas”.

Facilmente nos envolvemos pelo sistema humanista que reina em nossa geração e fazemos do culto um momento onde nós estamos no centro, e invocamos a presença de Deus para que Ele nos sirva e satisfaça nossas expectativas.

Que nossos cultos, nossas músicas, e nossas orações sejam, primeiramente e principalmente, em adoração ao nosso Deus.

*

“NÃO A NÓS, SENHOR, NÃO A NÓS, MAS AO TEU NOME DÁ GLÓRIA!”    Salmos 115:1

__________________________

Márcia Cristina Rezende
Bacharel em Educação Religiosa
Marília/SP
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria.

LEIA TAMBÉM:

Antigamente

Descaminhos

O arbusto e a árvore

_____________________________

Read Full Post »

 

“Não gostam que o prendam… O importante é não pressioná-lo, porque, como sabem, ele é selvagem. Não se trata de um leão domesticado.”

O texto citado acima faz parte da obra literária As Crônicas de Nárnia: O Leão, A Feiticeira e O Guarda-Roupa, do escritor irlandês C.S. Lewis. A obra literária As Crônicas de Nárnia conta as aventuras e desventuras de algumas crianças (e de alguns adultos também, porém de maneira secundária) num mundo chamado Nárnia, e é dividida em sete livros que foram escritos separadamente. Esta obra era praticamente desconhecida no Brasil até o lançamento do primeiro filme, o que fez com que o livro fosse um dos mais vendidos no país. Esta obra foi um grande sucesso na Europa na segunda metade do século passado. Infelizmente foi superado pelas obras da escritora britânica J. K. Rowling com o seu Harry Potter. 

As Crônicas de Nárnia tem muitos elementos cristãos, o que me leva a aconselhar aos internautas a lerem os livros da série. Entre os elementos cristãos, temos a figura do leão, que representa a pessoa de Jesus Cristo. Bem, aí está o “por quê” deste post.

Ao ler o trecho do texto citado acima, me deparo com uma reflexão: o leão é um animal selvagem. Quando digo selvagem, estou querendo dizer que o leão é um animal que não pode ser domesticado, ou seja, é um animal que não está adaptado para sobreviver, ou conviver, com a ajuda de (ou sob o controle de) humanos. Não pode ser educado aos nossos costumes, e nem pode ser ensinado para fazer nossas vontades. É um animal que não admite ser submisso a ninguém.

Não acho que foi por acaso que C.S. Lewis elaborou este pensamento. Com essa idéia, o escritor irlandês nos passa a imagem de que Jesus Cristo, sendo Deus, não pode ser domesticado. Deus não pode ser ensinado nos costumes dos homens. Deus não pode ser ensinado a fazer as vontades dos homens. Deus não pode ser moldado aos prazeres dos homens. Será que C.S. Lewis já convivia com um evangelicalismo que domesticava a Deus?

Uma coisa é certa: Lewis já apontava um terrível erro do evangelicalismo para o futuro. E esse futuro chegou a nós.

O que estamos presenciando em nossas igrejas é um evangelho onde Deus é ensinado a fazer as nossas vontades. Os líderes eclesiásticos estão apresentando um deus que pode ser moldado aos diferentes problemas da vida, e com um detalhe animador: para cada problema, há uma solução! Por isso, os pregadores evangélicos não medem esforços para trazerem o máximo de pessoas às suas igrejas, prometendo um deus que pode, perfeitamente, resolver qualquer problema da vida: seja enfermidade, seja financeiro, seja na vida amorosa, sentimental… Não há nada mais confortador do que isso: que Deus vive para mim e para resolver meus problemas.

Que tipo de transformação é operada nos corações dos evangélicos? Nenhuma! Por que é o homem que tem que ser transformado? Afinal de contas, Deus me aceita do jeito que sou, não é mesmo? E por isso mesmo, é Deus quem se transforma para ser acomodado às circunstâncias da vida de cada um. A única transformação operada é no status do homem: é só dar alguns R$ 1.000,00 para a igreja que já tenho direito a uma bênção! É só participar de algumas “campanhas financeiras” que a minha empresa irá prosperar! É só dar uns R$ 900 para ganhar uma bíblia (que custa uns 30 reais em algumas livrarias evangélicas) e minha vida já será transformada! É só dar o trízimo (dízimo para cada pessoa da trindade) que minha vida será recompensada! Simples assim!!!

Mas tem também uma mudança na saúde e na vida amorosa. Basta participar de algumas correntes (e levar alguns bons trocados no bolso), que aquele meu amor platônico será finalmente meu, ou que aquele vizinho que botou mal-olhado pra mim será castigado, ou que aquela doença incurável  deixará de existir no meu corpo… Enfim, é uma infinidade de milagres que o deus domesticado irá operar na vida de todo aquele que se mostrar generoso ($$$$$) para com a igreja, ou para que algum programa de televisão se matenha no ar.

Francamente, estou enojado desse evangelho farrapado, minúsculo e mesquinho pregado nessas igrejas neopentecostais, apresentando um evangelho fácil, que não exige sacrifício do homem, que não exige transformação de vida, que não exige o abandono do pecado, que não exige temor e reverência da parte do homem para com Deus.

Todos esses profetas de Baal, ministros de Satanás receberão as devidas recompensas pelos atos praticados soberbamente e egoisticamente. A parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre (Ap 21.8). Não tenho dúvidas de que muitos desses falsos profetas serão desconsiderados por Deus no último dia: “Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade” (Mt 7.22,23).

Não é Deus que tem que ser domesticado, e sim o homem. É o homem que tem que aprender a fazer a vontade de Deus, a ser educado nos princípios e mandamento de Deus. É o homem que tem que ser submisso à vontade de Deus. Submissão essa que não considera nada em troca, senão unicamente a condição de dependência do homem a Deus. O homem precisar ser ensinado a reconhecer a sua condição  de miséria por causa do pecado. O homem precisa aprender a chorar pelo seu pecado, a lamentar sua depravação, a morrer para os prazeres do mundo, da carne e do pecado e a reconhecer a soberania divina sobre a sua vida. O homem precisar ser ensinado a viver uma vida de acordo com os princípios bíblicos de santidade e pureza, olhando sempre para o alto, onde o seu coração deve repousar.

.

Soli Deo Gloria!

.

Heitor Alves

Fonte: Blog dos Eleitos  

.

_____________________

.

Leia também:

.

***

Read Full Post »

Older Posts »