Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Família’ Category

Namorar é uma delícia!!!

Este relacionamento pré-casamento, entre duas pessoas apaixonadas pode ser uma das fases mais ricas e ternas da vida de um ser humano. Basta ser inteligente e saber aproveitar.

Que fique claro que estou falando de namoro pra valer, o que muitos consideram “careta” e ultrapassado. Não se trata de apenas “ficar” ou “pegar”, hábitos descomprometidos e levianos. Falo de namoro de verdade, que começa com uma leve arritmia cardíaca, troca de olhares, um toque na mão meio que sem querer… aí evolui para uma conversa, uma saída, uma declaração de amor… Ao contrário do que muitos pensam, isso nunca sai de moda e sempre vai existir, graças a Deus! Porque? Porque namorar assim é uma delícia!

Namorar é uma delícia quando os pais consentem, aceitam o relacionamento e abençoam o casal. No namoro, duas famílias estão envolvidas e o desafio é construir relacionamentos saudáveis em todas as esferas. Programas divertidos e momentos de bate papo com os familiares aprofundam o sentimento e demonstram respeito mútuo.

Namorar é uma delícia quando há romantismo. E para haver romantismo não é preciso dinheiro, mas criatividade. Não é preciso presentes caros ou passeios dispendiosos. Quando se está apaixonado, o que importa é estar junto. Telefonemas inesperados, bilhetinhos apaixonados, o chocolate preferido embrulhado pra presente, uma serenata, apelidos carinhosos, gestos educados, versinhos “ridicularmente” melosos, um encontro inesperado, elogios inteligentes… a lista é interminável.

Namorar é uma delícia quando ambos compreendem os limites do relacionamento. No namoro, os beijos, abraços e carícias não ocupam a maior parte do tempo nem são prioridade. No namoro a gente brinca, conversa, passeia, ouve música, sonha, faz planos, toma sorvete, dá risada… Não se perde tempo procurando lugares escuros nem oportunidades para ficar a sós, pois a intimidade física é reservada para o casamento.

Namorar é uma delícia quando há respeito, diálogo civilizado, sabedoria para resolver conflitos, disposição para ouvir, desejo sincero de compreender e abrir mão de seus direitos de vez em quando, tolerância, delicadeza, honestidade, humildade para perdoar. Nem sempre tudo vai estar bem e os namorados estarão ambos bem humorados, aí é preciso jogo de cintura para driblar a situação e jogar fora as picuinhas.

Namorar é uma delícia quando quem namora é adulto. Sim, pois namoro não é coisa pra criança. No namoro não há espaço para ciúme excessivo, baixa alto estima, carência afetiva, egoísmo, pirraças, descontrole emocional e outras características de uma personalidade imatura. Pra namorar, tem que ser gente grande, satisfeito consigo mesmo e ver no outro uma pessoa para amar e não para satisfazer suas próprias necessidades.

Namorar é uma delícia quando há também um pouco de silêncio, um pouco de saudade. Quando há tempo para si mesmo. Há que se dar espaço para que a própria vida e a do outro continue pulsando: shopping com as amigas, futebol com os amigos de infância, a leitura de um bom livro, estudo, trabalho, família.

Namorar é uma delícia quando é feito a três. Quando Deus, que é o maior interessado em nosso bem estar é convidado a estar presente em todas as conversas, participar de todos os encontros e orientar em todas as escolhas, há segurança no relacionamento. Orar juntos, buscar a Deus nos momentos difíceis, agradecer a Ele cada pequena conquista, ser bênção na vida do outro através de seus dons espirituais, cantar músicas em adoração ao Senhor, adorá-lo a dois, são posturas que podem mudar toda uma vida.

Quando o namoro dá certo e ambos decidem que querem viver juntos pelo resto da vida, vem o casamento. E é aí que o namoro amadurece, muda de fase e… fica ainda mais delicioso!

A todos os casais apaixonados e enamorados, que o coração continue batendo forte a cada encontro e que um simples olhar do bem amado continue nos tirando o fôlego.

Feliz Dia dos Namorados!

 o

________________________

o

Márcia Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
Marília/SP
 
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria.

o

o

Leia também:

o

o

Read Full Post »

 

Encontrei este texto da Carol de Andrade e postei aqui no meu cantinho por concordar com ela. Infeliz da mulher (e também do homem) que acredita que vai encontrar a felicidade apenas no ser amado. Colocar a expectativa de realização pessoal em outra pessoa sempre termina em frustração e angústia. Passar o dia dos namorados sem um namorado não pode ser encarado como motivo de depressão. Quem depende do outro para satisfazer suas carências emocionais nunca ficará satisfeito.  Enquanto não aprendermos o real sentido da declaração de Cristo: “A minha graça te basta”, não conseguiremos nos relacionar de modo saudável com outra pessoa.

__________________________________________________________________________________________________

 

12 de Junho – Brasil – Dia dos Namorados

 

Dia “recheado” de muito romance. A mídia nos bombardeia com promoções, corações e muito vermelho pelas lojas, comerciais, e até mesmo nas nossas igrejas. Existe sempre aquele parente, “irmãzinha” da igreja, amiga distante, que vem com aquela famosa frase: você está namorando? Você pela centésima vez fala que está solteira, solta até um eu estou esperando em Deus! Depois do esperando em Deus vem a continuação: isso mesmo, temos que estar no centro da vontade de Deus.

Mas você está mesmo esperando ou está é mesmo encalhada?

Faremos um teste básico para você detectar se está na espera ou encalhada:

1. Quando você começa a ler sobre namoro, ver fotos, conversar com suas amigas que estão namorando fica pensando porque não eu?

2. Fica conversando com vários “irmãos” que conheceu pela internet e dizendo suas qualidades, até tem um perfil escondido num site de relacionamento?

3. Passa mais tempo do seu dia imaginando como seria ter um namorado do que outra coisa?

4. Acredita que só será feliz se estiver namorando?

5. Sente-se triste e por vezes deprimida por estar solteira?

6. Fica visitando igrejas e eventos para ver se encontra o tão esperado “varão”?

Se você respondeu sim para todas as questões acima você está encalhada! Sua vida está baseada em querer encontrar alguém para suprir sua solidão. O amor é doação! Amar é estar disposta a fazer o outro feliz e não esperar que encontre alguém para que a faça feliz. Ser feliz é conseqüência de um amor mútuo!

Leia 1 Coríntios 13 todo! Não fixe-se em só um versículo! Caso não tenha compreensão plena peça ao Senhor!

E se você disse não para todas as perguntas não fique tão animada! Você ainda tem mais para examinar dentro de si! Liste 10 coisas imprescindíveis para o homem da sua vida. Saiba que a primeira deve ser um homem compromissado com Cristo! Nada de julgo desigual!!! Procure sempre um homem que busque a Deus para encontrar o seu coração!

Após fazer essa lista veja se você se enquadra em todos os tópicos. Não podemos querer algo que não somos também! Lembra que você irá fazer alguém feliz? Como você quer um homem de caráter, firme no Senhor, compromissado com a obra, se você não tem buscado isso para si mesma? “… buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” MT 6:33

Namoro é pra casamento! Não é para ficar matando tempo.

Busque ao Senhor em primeiro lugar, busque fazer a vontade de Deus. Saia com seus amigos, visite igrejas, vá a congressos, mas tudo para honra e glória do Senhor. você encontrará a pessoa que você fará feliz nesses lugares ou similares. Pode até ser na internet. Mas estar na espera é esperar mesmo! Não é ficar na busca desenfreada, naquela vontade de ganhar presente no próximo dia dos namorados.

Estar solteira não é o fim, você precisa estar solteira para conhecer aquele que junto com você, serão felizes!

 

 Autora: Carol de Andrade

Fonte: Blog am3m

.

 _______________________

 .

Leia também:

.

 

Read Full Post »

 

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE MORAR JUNTO SEM SE CASAR

“Portanto, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne”  Gênesis 2:24

*

É cada vez mais comum casais que optam por um relacionamento mais livre, e simplesmente passam a morar juntos, sem o compromisso do casamento. É o que o código civil chama de “uniões estáveis”.

Os argumentos para que um casal não queira assumir o casamento, são variados e muito criativos, mas não conseguem anular os preceitos de Deus, que são eternos.

Precisamos entender dois princípios básicos sobre este assunto:

1. O relacionamento íntimo conjugal é um privilégio exclusivo para o casamento. Este é o plano de Deus desde o princípio para o ser humano: “Por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido” (1 Coríntios 7:2). Todo aquele que opta por um plano diferente, estará entrando por um caminho obscuro e sem a aprovação do nosso Criador. Ter relações sexuais com alguém que não é seu esposo/esposa é fornicação. Deus assim determinou para que pudéssemos manter nosso corpo limpo, puro e santo. Veja o que a Bíblia fala sobre prostituição na área sexual:

“As obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia…  e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5:19

“Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o SENHOR, e o SENHOR para o corpo.”  1 Coríntios 6:13

 “Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.”  Colossenses 3:5-6.

2. Morar junto ou manter relações sexuais não substituem o casamento. Casamento é uma cerimônia pública perante Deus e a sociedade, onde o casal faz uma aliança indissolúvel.

O CASAMENTO É UMA CERIMÔNIA QUE OFICIALIZA A UNIÃO DE UM CASAL. NÃO É INVENÇÃO DE HOMENS, MAS DE DEUS. NÃO É DOGMA RELIGIOSO, É BÍBLICO.

Li há pouco tempo um artigo, cujo autor afirmava que casamento não é bíblico porque Adão e Eva não se casaram, e Isaque deitou-se com Rebeca assim que a conheceu… Ora, ora… Quanta ignorância!!

Adão e Eva não tiveram testemunhas humanas, mas receberam a bênção de Deus (2)! Quanto a Isaque, não sabemos ao certo o que aconteceu (3). Quem estuda (com seriedade) um pouquinho de teologia, sabe que, muitas vezes, a narrativa bíblica não dá detalhes da situação, fazendo com que o leitor desapercebido pense que os fatos foram consecutivos, o que nem sempre é verdade. Um exemplo clássico disso é o capítulo 4 de Gênesis, que conta que Adão e Eva tiveram dois filhos: Caim e Abel. Caim matou Abel, saiu de casa e se casou com uma mulher. O que aconteceu antes e depois do nascimento de cada um, o nascimento de outros filhos, a formação de outras tribos, e outros detalhes, é omitido nas Escrituras com uma única razão: não era importante. Logo, o fato da Bíblia não detalhar o casamento de Isaque não significa que ele não se casou!!! Por outro lado, mesmo que ele não tenha se casado oficialmente, isso não significa que Deus tenha aprovado sua atitude. No início dos tempos, práticas como o incesto, poligamia, escravidão, apedrejamento e tantas outras, faziam parte do contexto cultural do povo de Israel, nem por isso, refletiam os propósitos de Deus.

Jesus Cristo, em seu ministério, por várias vezes denunciou práticas e cerimônias desnecessárias e puramente legalistas, como se lavar antes das refeições, guardar o sábado, não comer na companhia de “pecadores” e a circuncisão, mas nunca disse nada, direta ou indiretamente, contra a cerimônia de casamento. Pelo contrário, confirmou-a várias vezes (Mt 19:1-8, 22:2; Lc 20:34; Jo 2:1-2). Se o casamento fosse algo irrelevante ou desnecessário, com certeza o Mestre nos teria deixado tal ensino. Ao abordar a mulher samaritana, Jesus confrontou seu pecado dizendo que ela morava com um homem que não era seu marido (Jo 4:17-19). A mulher confirmou a fala de Jesus. MORAR JUNTO e ESTAR CASADO são duas coisas diferentes.

As Escrituras falam de casamento e de prostituição. E não há absolutamente nenhum respaldo bíblico para deduzir que sexo e casamento são a mesma coisa. Antes, alerta: sexo sem casamento é prostituição.

“Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido. Mas, se te casares, com isto não pecas; e também, se a virgem se casar, por isso não peca” 1Cor 7.2, 28 

“Quero, pois, que as que são moças se casem, gerem filhos, governem a casa, e não dêem ocasião ao adversário de maldizer; porque já algumas se desviaram, indo após satanás” 1 Tm 5:14-15 

“Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula, pois aos devassos e adúlteros Deus os julgará.” Hb 13:4

“Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que, vivendo o marido, será chamada adúltera se for de outro marido; mas, morto o marido, livre está da lei, e assim não será adúltera, se for de outro marido.” Romanos 7:2-3

“Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu. Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se. Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.” 1 Coríntios 7:8-11

Certamente a cerimônia que oficializa o casamento varia conforme a cultura de cada época e lugar. Nos nossos dias, envolve um contrato civil feito em cartório. Com a assinatura deste contrato, o casal recebe uma certidão de casamento, ou seja, um documento que comprova que ambos estão casados. Sem esta certidão, não há casamento. Quando Jesus estava conversando com a mulher samaritana, ele foi bem claro quando disse: “…o homem com quem você mora agora não é seu marido” (João 4:16-18). Confirmando o conceito de que não basta morar junto para se considerar casado. Assim sendo, concluímos que um casal só pode viver junto, como marido e mulher, apenas se forem legitimamente casados um com o outro. Caso contrário, ambos estão em fornicação.

Se este for o seu caso, procure acertar a sua situação. Sabemos que os mandamentos de Deus para nós são todos para o nosso bem. Não podemos amar a Deus e discordarmos de Sua maneira de dirigir todas as coisas.

Sei que muitos hoje pensam de maneira diferente e consideram que o casamento civil é uma prática obsoleta e sem valor algum diante de Deus. É certo que só o contrato não basta se o casal vive em discórdia e desrespeito mútuo. Por outro lado, importa fazer uma coisa sem omitir a outra, casar judicialmente sem se esquecer de honrar esse compromisso em amor.

“Importa antes obedecer a Deus que aos homens. Se porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem vocês irão servir”.

(Atos 5:29 e Josué 24:15).

*

*   *   *

*

Márcia Cristina Rezende

Bacharel em Teologia e em Educação Religiosa

Marília/SP

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

*

  

*

Leia também:

*

_______________________________________

Read Full Post »

Dia das mães. Na mídia, comércio ou festinhas escolares, a mãe rainha do lar é prodigamente exaltada. Muito se fala e se escreve sobre sua dedicação, amor, beleza, sabedoria, perseverança e outras tantas virtudes. A mãe é homenageada, elogiada, mimada, presenteada. Celebra-se entretanto apenas o modelo idealizado de mãe. Hoje quero aqui lembrar de outras mães. A mãe de carne e osso, com filhos já crescidos, e que não já se sente tão amada.

A maternidade é a realização de um sonho de menina. A chegada do filho traz festa, emoção, alegria, realização, e também, é claro, um pouco de trabalho: trocar fraldas, fazer dormir, dar remédio, levar ao pediatra, vacinar, cuidar da febre, decifrar o choro, mamadeiras, sopinhas, primeiros dentinhos… Aquele bebê tão frágil e dependente no colo lhe dá a certeza de que, por mais difícil que seja, é sempre uma alegria cuidar dele.

O filho logo aprende a andar e então mãe descobre que seu trabalho aumentou: ele corre, põe o dedo na tomada, puxa a toalha, sobe na escada, pula do berço, bate a testa, foge, rala o joelho, se esconde, derruba o suco, quebra o vaso, espalha o arroz, faz graça, ri, dança, se atrapalha com as palavras… Ah, é tudo tão bonito!  E entre sustos e surpresas, a mãe é feliz, pois tem todo o amor do filho que a admira, procura, chama, beija e quer bem.

Mas, um dia, de repente, o filho cresce; vira gente grande e senhor de seu destino. A mãe não precisa mais conferir se a orelha está limpinha nem ensiná-lo a amarrar o tênis, afinal, ele já consegue fazer tudo sozinho. E é justamente aí, nesse ponto, que começam as mais sérias preocupações. Nem todos tomam os mesmos caminhos. Alguns se perdem e voltam-se contra tudo o que lhes foi ensinado desde o berço.

Provérbios 10:1 diz: “O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe”. As escolhas erradas do filho fazem sangrar a alma da mãe, numa dor tão profunda e aguda, que não cabe em qualquer palavra. Os sonhos que nutria enquanto segurava com força o bebê no colo, devagarzinho se esvaem. A mãe se pergunta: ‘onde foi que eu errei?’. Não encontrando a resposta, chora.

Com uma realidade bem diferente dos lindos comerciais de TV, muitas mães passam o segundo domingo de maio frustradas e infelizes por saberem que, apesar de todo esforço empenhado, não são mais a “rainha do lar”, e não podem mais receber nem mesmo o amor do próprio filho. Afinal, o próprio Jesus disse que quem ama, obedece. Muitos filhos simplesmente escolhem desobedecer e adentram no mundo da prostituição, do crime, das drogas, dos vícios, da pornografia, da mentira, da desonestidade, da revolta, do egoísmo. E a mãe, decepcionada e com o coração partido, não consegue ignorar, não consegue superar, não consegue desistir. O filho é um pedaço dela e sempre vai ser, tenha a idade que tiver. Nada pode mudar isso. E só quem também é mãe e chora por seu filho consegue entender essa situação tão paradoxa de amor e conflito com o filho.

Têm também uma outra mãe que chora, não pela desobediência do filho, mas por aquilo que a vida impôs a ele: morte prematura, enfermidade, desemprego, privações, família desequilibrada… Vivenciar a morte de um filho ou seu infortúnio é tão agonizante para a mãe, que ela só não morre de dor porque um milagre a mantém em pé.

E assim é vida dessas mães: nem sempre tão bonita e feliz como na televisão, mas nunca de menor valor. E mesmo impotentes diante de uma determinada situação, a mãe segue valente seu caminho. Continua amando, orando pelo filho, aconselhando, chorando, ajudando, levantando.

A vocês, mães reais que estão sofrendo, meu abraço, minha solidariedade, meu carinho. Não importa quão grande é tua luta, você não está só. Deus conhece a tua dor e está cuidando de você e dos seus. Confie Nele e nunca perca a esperança. Tudo vai dar certo… Então respire fundo, tenha fé e continue acreditando. E tenha, sobretudo e acima de tudo, um FELIZ DIA DAS MÃES!!! Você merece!!!

“Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes.”  Salmo 126:5-6

 

Márcia Cristina Rezende

Bacharel em Educação Religiosa

Marília/SP

Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos

mediante citação da fonte e autoria.

 

 

Read Full Post »

 

 

PERGUNTA: Sexo antes do casamento é mesmo pecado ou trata-se apenas de mais um dogma imposto pela religião?

RESPOSTA: A natureza humana nunca muda e, por isso, as mesmas inquietações persistem de geração a geração. O corpo grita e “torce” para que alguém venha com uma resposta que traga alívio. Há mais de trinta anos faço palestras para jovens e a necessidade de voltar e continuar voltando aos mesmos temas continua. Então vamos lá:

 

1. A SEXUALIDADE E O PRAZER SEXUAL FORAM CRIADOS POR DEUS E NÃO PODEM SER CONSIDERADOS COMO ALGO SUJO OU PECAMINOSO. A sexualidade foi concedida ao ser humano como um instinto natural para procriar, proporcionar prazer e consumar a aliança entre um casal. É algo íntimo, mas não promíscuo. Velado, mas não vergonhoso.

“Deus Criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. Deus os abençoou, e lhes disse: ‘Frutificai e multiplicai-vos! Enchei a terra e sujeitai-a!… Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão os dois uma só carne. E viu Deus tudo o que havia feito, e eis que era muito bom” (Gênesis 1:27-28, 2:24, 1:31).

“Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente. E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha? Eis que os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR, e ele pesa todas as suas veredas.” (Pv 5:18-21)

 

2.  A UNIÃO SEXUAL É UMA DÁDIVA DE DEUS PARA SER DESFRUTADA EM AMOR, DENTRO DE UM RELACIONAMENTO DE PROFUNDA INTIMIDADE E SEGURANÇA: O CASAMENTO. O sexo só é saudável e abençoado por Deus quando concilia amor, santidade, satisfação mútua, integridade, compromisso, responsabilidade, entrega e dignidade. E este nível de compromisso só é possível dentro do casamento.

Casamento é uma cerimônia pública perante Deus e a sociedade, onde o casal faz uma aliança indissolúvel (1). Obviamente esta cerimônia sofre variações conforme a época e o local. Um casamento entre judeus há quatro mil anos antes de Cristo, com certeza era diferente de um casamento na China durante a Idade Média, por exemplo. Mas não mudou de nome e nem deixou de existir. Nos nossos dias, envolve um contrato civil feito em cartório. Com a assinatura deste contrato, o casal recebe uma certidão de casamento, ou seja, um documento que comprova que ambos estão casados. Sem esta certidão, não há casamento.

“O marido pague à mulher o que lhe é devido, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido. Do mesmo modo o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.” 1 Co 7:3-4

“Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela. Por isso, deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá a sua mulher, e serão os dois uma só carne. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher respeite a seu marido.” Ef 5: 22, 25, 31 e 33.  

“Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado” (1Cor 7.9). O texto é claro e não dá margem para que aliviemos nossos desejos sexuais fora do matrimônio.

 

3. SEXO FORA DO CASAMENTO NÃO CUMPRE OS PROPÓSITOS DE DEUS, POR ISSO É PECADO. Coabitar “maritalmente” com alguém ou manter relações sexuais com um parceiro NÃO É CASAMENTO, com ou sem amor. Quando Jesus estava conversando com a mulher samaritana, ele foi bem claro quando disse: “…o homem com quem você mora agora não é seu marido” (Jo 4:16-18). Confirmando o conceito de que não basta morar junto ou ter relações sexuais para se considerar casado. Jesus nunca considerou legítimo o relacionamento de um casal amasiado.

As relações sexuais fora do casamento nunca foram aceitas, nem em Israel, nem na Igreja Primitiva. Basta atentar para a enorme quantidade de leis contra a fornicação e a impureza sexual e os inúmeros mandamentos que fortalecem o casamento como instituição para o povo de Deus em todas as épocas.

Qualquer tipo de intimidade sexual fora do casamento é chamado na Bíblia de “porneia” – termo original grego que significa prostituição. Traduzido também em algumas versões como fornicação, adultério ou imoralidade sexual. Segundo J.H.Thayer, um dos maiores especialistas em grego bíblico, este termo era usado para descrever todo gênero de relação sexual ilícita, ou seja, fora do que Deus estabeleceu para a espécie humana: o casamento monogâmico entre um homem e uma mulher.

“Mas a prostituição, e toda a sorte de impureza ou cobiça, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos.” Rm 5:3  

“Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: a prostituição, a impureza, a paixão, a vil concuspiscência, e a avareza, que é idolatria. Por essas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.” Cl 3:5-6  

“Os alimentos são para o estômago, e o estômago para os alimentos; Deus, porém, destruirá tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o seu corpo. Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prostitui, peca contra o seu próprio corpo.” 1 Co 6:13,18  

“Receio que quando for outra vez, o meu Deus me humilhe no meio de vós, e chore por muitos daqueles que dantes pecaram, e não se arrependeram da impureza, prostituição e lascívia que cometeram.” 2 Co 12:21

 

4. O CASAMENTO É UMA CERIMÔNIA QUE OFICIALIZA A UNIÃO DE UM CASAL. NÃO É INVENÇÃO DE HOMENS, MAS DE DEUS. NÃO É DOGMA RELIGIOSO, É BÍBLICO. Li há pouco tempo um artigo, cujo autor afirmava que casamento não é bíblico porque Adão e Eva não se casaram, e Isaque deitou-se com Rebeca assim que a conheceu… Ora, ora… Quanta ignorância!!

Adão e Eva não tiveram testemunhas humanas, mas receberam a bênção de Deus (2)! Quanto a Isaque, não sabemos ao certo o que aconteceu (3). Quem estuda um pouquinho de teologia, sabe que, muitas vezes, a narrativa bíblica não dá detalhes da situação, fazendo com que o leitor desapercebido pense que os fatos foram consecutivos, o que nem sempre é verdade. Um exemplo clássico disso é o capítulo 4 de Gênesis, que conta que Adão e Eva tiveram dois filhos: Caim e Abel. Caim matou Abel, saiu de casa e se casou com uma mulher. O que aconteceu antes e depois do nascimento de cada um, o nascimento de outros filhos, a formação de outras tribos, e outros detalhes é omitido nas Escrituras com uma única razão: não era importante. Logo, o fato da Bíblia não detalhar o casamento de Isaque não significa que ele não se casou!!! Por outro lado, mesmo que ele não tenha se casado oficialmente, isso não significa que Deus tenha aprovado sua atitude. No início dos tempos, práticas como o incesto, poligamia, escravidão, apedrejamento e tantas outras, faziam parte do contexto cultural do povo de Israel, nem por isso, refletiam os propósitos de Deus.

Jesus Cristo, em seu ministério, por várias vezes denunciou práticas e cerimônias desnecessárias e puramente legalistas, como se lavar antes das refeições, guardar o sábado, não comer na companhia de “pecadores” e a circuncisão, mas nunca disse nada, direta ou indiretamente, contra a cerimônia de casamento. Pelo contrário, confirmou-a várias vezes (Mt 19:1-8, 22:2; Lc 20:34; Jo 2:1-2). Se o casamento fosse algo irrelevante ou desnecessário, com certeza o Mestre nos teria deixado tal ensino.

As Escrituras falam de casamento e de prostituição. E não há absolutamente nenhum respaldo bíblico para deduzir que sexo e casamento são a mesma coisa. Antes, alerta: sexo sem casamento é prostituição.

“Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido. Mas, se te casares, com isto não pecas; e também, se a virgem se casar, por isso não peca” 1Cor 7.2, 28  

“Quero, pois, que as que são moças se casem, gerem filhos, governem a casa, e não dêem ocasião ao adversário de maldizer; porque já algumas se desviaram, indo após satanás” 1 Tm 5:14-15  

“Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula, pois aos devassos e adúlteros Deus os julgará.” Hb 13:4

 

5. CARÍCIAS ÍNTIMAS E SENSUAIS FORA DO CASAMENTO TAMBÉM É PROSTITUIÇÃO. O ato sexual não se resume à penetração do órgão genital masculino no órgão genital feminino, mas envolve todas as emoções, sensações e carinhos que fazem parte da intimidade sexual. Assim sendo, o casal que não “chega nos finalmentes” mas acaricia, beija, abraça e alisa (chegando ou não no clímax) além dos limites de um relacionamento fraternal, está sim transgredindo os planos de Deus. Jesus afirmou que só em olhar para uma mulher com intenções de cobiça já é adultério, quanto mais dar vazão a esses desejos sexuais.

Certamente não é fácil manter a pureza no relacionamento de namoro e noivado. Mas atração física pode e precisa ser contida até que chegue o momento certo. Através do Espírito Santo de Deus, somos livres para não pecar. Aquele que está em Cristo não é mais escravo dos desejos da carne, nem de suas paixões e concupiscências. Auto-domíno é fruto do Espírito em nossa vida. Pelo amor de Deus, não somos bestas reféns do próprio cio! É possível esperar! É possível controlar-se! Para isso, é importante que adotemos corretos padrões de pensamentos e vigiemos nossos olhos. Aquele que só pensa em sexo e enche seus olhos de pornografia, com certeza não conseguirá se conter. É preciso, acima de tudo, decidir ser puro.

“Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela. Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.” Mt 5:27-30  

“Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus.” 1 Ts 4:3-5

“Fiz aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem? Que porção teria eu do Deus lá de cima, ou que herança do Todo-Poderoso desde as alturas? Porventura não é a perdição para o perverso, o desastre para os que praticam iniqüidade?” Jó 31:1-3 

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” Fl 4:8

 

6. OS MANDAMENTOS DE DEUS NOS FORAM DADOS PARA NOSSA PRÓPRIA EDIFICAÇÃO E NÃO TORTURA. Deus não é um ser sádico que fica lá no Céu inventando maneiras de fazer seus filhos sofrerem. Ele nos ama, e todas as suas ordenanças tem o propósito de nos abençoar e estão dentro da nossa capacidade de cumpri-las.

Se Ele nos fez seres sexuados por que não podemos expressar nossa sexualidade da maneira como bem entendemos? Por que precisamos esperar até o casamento? Por que precisa ser feito com amor? Por que tantos limites? Por que a família é a organização mais importante para nossa saúde emocional e social. Se nos deixarmos dominar por nossos impulsos sexuais, a família desmorona, trazendo consigo conseqüências inimagináveis para a nossa sociedade.

Infelizmente, o mundo caminha dentro de sua própria cosmovisão egoísta e imediatista. O que era imoral há tempos atrás hoje já não o é. Entretanto, como filhos da Luz, precisamos tomar a decisão de não permitirmos que o mundo molde nossos valores, a ponto de negarmos os princípios divinos. Somente através de uma íntima e ininterrupta comunhão com o Criador poderemos vencer.

E se alguém errar? Nunca é tarde para recomeçar. Deus perdoa todos os pecados, desde que os confessemos e abandonemos. O Criador é paciente e nunca desiste de nós. Ele é todo amor! E o Deus das novas oportunidades estará sempre de braços abertos para todo aquele que, com o coração sincero, reconhecer suas limitações, falhas e iniqüidades, e buscar a santificação.

“Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” 1 Jo 6-9 

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:1-2 

“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.” Is 64:4

“Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Co 2:9

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Uma facção emerge no meio do cristianismo, afirmando que princípios como os que descrevi acima é coisa de “crente descontextualizado”, “atrasado”, “religioso” e “de consciência pequena”. Vangloriam-se em seguir uma verdade que “liberta” e não que “escraviza”. A estes digo: sim, a verdade liberta. Mas…. liberta de quê? Para quê? A vida com Cristo não consiste em sermos livres para fazermos “tudo o que der na telha”, desde que a consciência não nos condene – isso seria relativizar o pecado. Não senhores, a Verdade nos liberta DO PECADO, DOS VÍCIOS, DO DOMÍNIO DOS IMPULSOS DA CARNE, ao mesmo tempo que gentilmente nos aprisiona… não a leis, costumes, tradições, regras e fardos humanos, mas a Cristo e sua vontade. Quem define o que é pecado não é o homem ou a mulher, mas sim Deus.

Nunca imaginei que parte da igreja evangélica chegaria a esse nível de cegueira espiritual! Pasmo diante de posicionamentos de pastores, famosos e anônimos, que afirmam que casamento é uma invenção dos homens e que, se o sexo for com amor e responsabilidade, é legítimo diante de Deus…

Pessoas que extraem da Bíblia apenas o que está de acordo com seu preconceito sobre o assunto, ignorando todo o resto… Mentes doentes e cegas que preferem seguir seu coração enganoso (4) a guiar-se pela Palavra… Muito bem, façam o que quiserem! Cada um dará contas de si mesmo a Deus. Mas, como o apóstolo Paulo, não consigo deixar de sofrer dores como de parto (5) por esta igreja permissiva e licenciosa.

Ai, meu Deus, como dói! Paulo nunca pariu, mas eu já. Duas vezes. E posso dizer que a dor do parto é bem mais suave, pois perdura algumas horas e depois passa. Atinge o corpo no extremo do suportável, mas traz à luz o milagre da vida. Quanto à dor pela apostasia dos membros do corpo de Cristo, essa não passa, apenas cresce, e não gera nada a não ser mais dor: frustração, decepção, descrença, solidão…

E eu, que não são famosa nem nada, apenas sigo seguindo… na esperança de poder declarar, como Paulo: “Combati o bom combate, cumpri a carreira e guardei a fé” (2 Tm 4:7).

(1) Rm 7:2-3

(2) Gênesis 1:27-28

(3) Gênesis 24:63-67

(4) Jeremias 17:9

(5) Gálatas 4:19-20

 .

_________________________

.

Márcia Cristina Rezende
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa
Marília/SP
*
Permitida reprodução e distribuição sem fins lucrativos
mediante citação da fonte e autoria.

,

.

LEIA TAMBÉM:

.

Read Full Post »